Descrição de chapéu Eleições 2018

Partidos nanicos conquistam governos estaduais com onda Bolsonaro

PSL, PSC e Novo colam em imagem do militar e vencem disputa em 6 estados

Thiago Amâncio
São Paulo

Ancorados na popularidade do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), partidos antes sem expressão nacional conseguiram vencer as disputas pelos governos de seis estados, incluindo dois dos maiores colégios eleitorais.

 

O PSL de Bolsonaro, que antes havia vencido apenas uma eleição estadual (Flamarion Portela venceu em Roraima em 2002; ainda assim, ele se filiou ao PT no ano seguinte), levou agora três estados: Santa Catarina (Comandante Moisés, de virada), Rondônia (Coronel Marcos Rocha, também de virada) e Roraima (Antonio Denarium).

Romeu Zema foi eleito governador de Minas Gerais e deu ao recém-criado partido Novo seu primeiro governo. 

No Rio de Janeiro, embora não tenha recebido o apoio direto do capitão eleito presidente, Wilson Witzel colou sua imagem à do militar e foi eleito governador pelo PSC. O partido se elegeu também no Amazonas, com Wilson Lima.

O PT venceu o único segundo turno que disputava, no Rio Grande do Norte, com a senadora Fátima Bezerra (PT), que será a única governadora do país. O partido não terá nenhum governo fora do Nordeste a partir de 2019. Os petistas governarão o Ceará (Camilo Santana), Piauí (Wellington Dias) e Bahia (Rui Costa).

O PSB perdeu todos as disputas em segundo turno (SP, DF, SE e AP). No começo do mês, já havia conquistado os governos de Pernambuco, Paraíba e Espírito Santo.

Embora o PSDB tenha saído enfraquecido em relação às últimas eleições (quando venceu em cinco estados), os tucanos conquistaram o importante governo de SP —além de Mato Grosso do Sul (Reinaldo Azambuja) e Rio Grande do Sul (Eduardo Leite).

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.