Libras usada por Michelle Bolsonaro em discurso é regulamentada por lei

A Língua Brasileira de Sinais tem inspiração francesa

São Paulo

Durante a cerimônia de posse do presidente Jair Bolsonaro, nesta terça-feira (1º), a primeira-dama Michelle Bolsonaro fez um inédito discurso no parlatório do Palácio do Planalto em que se dirigiu ao público por meio da Libras, que é a sigla de Língua Brasileira de Sinais.

"Eu gostaria de modo muito especial de dirigir-me à comunidade surda, pessoas com deficiência e a todos aqueles que se sentem esquecidos. Vocês serão valorizados e terão seus direitos respeitados. Tenho esse chamado no meu coração e desejo contribuir na promoção do ser humano", disse a primeira-dama.

Autodidata em Libras, Michelle já havia feito tradução para surdos durante a campanha eleitoral. "Eu tenho um tio surdo e ele que plantou essa sementinha na minha vida. Me despertou amor pelas Libras, fui estudar e aprendi sozinha, e esse amor só foi aumentando", contou em programa eleitoral do marido.

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, fez um discurso em Libras no Palácio do Planalto. Ela gesticula, observada pelo marido, Jair Bolsonaro
A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, fez um discurso em Libras no Palácio do Planalto. - Folhapress

A Libras consiste em um  conjunto de formas gestuais utilizada por deficientes auditivos para a comunicação entre eles e outras pessoas, sejam elas surdas ou ouvintes.  

Ela tem origem na língua de sinais francesa e é um dos conjuntos de sinais existentes no mundo inteiro. Cada país tem a sua própria estrutura, que pode variar também de região conforme a cultura local e das expressões e regionalismos da língua comum.

Para determinar o seu significado, os sinais possuem alguns parâmetros para a sua formação, como a localização das mãos em relação ao corpo, a expressão facial, a movimentação que se faz ou não na hora de produzir o sinal.

No Brasil, a Língua Brasileira de Sinais foi estabelecida como a língua oficial das pessoas surdas através da Lei nº 10.436/2002. A função do intérprete de Libras, profissão de Michelle Bolsonaro, também está regulamentada através da Lei nº 12.319/2010.

Para se comunicar utilizando a língua brasileira de sinais, além de conhecer os sinais, é preciso também conhecer as estruturas gramaticais para combinar as frases e estabelecer a comunicação de forma correta.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.