Aprigio (Podemos) é eleito prefeito de Taboão da Serra

Deputado estadual venceu sucessor do prefeito Fernando Fernandes na cidade com maior densidade demográfica do país

Mogi das Cruzes (SP)

O deputado estadual Aprigio da Silva (Podemos), 69, foi eleito neste domingo (27) prefeito de Taboão da Serra. O político recebeu 50,63% dos votos contra 49,37% de Daniel Bogalho (PSDB), 37, candidato a sucessor de Fernando Fernandes. Como vice, ele escolheu o ex-prefeito da cidade José Vicente Buscarini (PSD).

O prefeito tucano encerra um ciclo de 16 anos de governo de Taboão, somados os últimos oito anos de governo aos outros dois mandatos, exercidos de 1997 a 2004, além dos quatro anos como vice, no final dos anos 80 e início dos 90.

Aprigio foi derrotado por ele nos dois pleitos em que disputou o cargo anteriormente. Em 2012, quando ainda era vereador na cidade, recebeu mais de 46 mil votos. No pleito seguinte, em 2016, foi escolhido por 29 mil eleitores.

Aprigio fazendo sinal de vitória ao lado da cabine de votacao
O prefeito eleito de Taboão da Serra, Aprigio da Silva (Podemos) - Divulgação

No primeiro turno, Bogalho terminou à frente ao receber pouco mais de 46 mil votos, o equivalente a 33%. Entretanto, a diferença em relação a Aprigio foi pequena, de apenas 1,950 votos, o que facilitou a virada. Na primeira fase do pleito, o político foi escolhido por 32% do eleitorado.

O empresário do setor de imobiliário conseguiu formar uma coligação de quatro siglas, que no segundo turno recebeu o apoio do MDB e seu candidato no pleito, o vereador Eduardo Nobrega, que terminou em terceiro lugar com 23% dos votos.

Com R$ 915 mil, comparados a quase R$ 1,4 milhão recebidos por Bogalho, a campanha uniu o nome do partido e o ramo de atuação do candidato no slogan "podemos reconstruir Taboão”.

Em 2018, Aprigio recebeu mais de 43 mil votos e foi eleito deputado estadual. Na biografia no site da Assembleia Legislativa, destaca a trajetória, da origem humilde, como servente de pedreiro, até se tornar presidente da Associação Conjunto Habitacional Vida Nova.

Durante a campanha, ele foi acusado por adversários por agravar o problema da mobilidade urbana no município, que tem apenas 20,4 km², o nono menor do país, e na última década, com a chegada de quase 50 mil habitantes, atingiu a marca de 293,6 mil habitantes e se tornou campeã em densidade demográfica do Brasil, segundo estimativa do IBGE.

“É feito um estudo de impacto de vizinhança para saber se comporta o condomínio ali. Se construímos, é porque cabia”, disse Aprigio à Folha, em outubro. Ele destacou ter entregue mais de 7 mil apartamentos, um prédio com 560 escritórios e um shopping, bloco residencial localizado à beira da rodovia e apelidado por moradores de “aprigiolândia”.

Segundo o deputado, a falta de planejamento na cidade vem de antes e para resolver a questão da mobilidade ele promete investir em transporte público, fazer o remanejamento da malha viária, que é de apenas 11% na cidade, municipalizar o trecho da rodovia Régis Bittencourt, BR-116, que corta a cidade e ampliar as ciclovias no município.

Já a área da habitação será uma das prioridades de seu governo, afirmou, com um programa de regularização fundiária. “Vou dar tranquilidade para as pessoas de dizer eu tenho a minha casa própria, tenho o documento e isso aqui é meu”, disse.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.