Descrição de chapéu Festival Design Weekend

Em SP, Design Weekend cresce e ganha o circuito global

Com mais de 350 atividades, evento se consolida como a maior semana do setor na América Latina

Projeção de como ficará a instalação do arquiteto na qual 10 mil folhas de papel usadas por escritórios de arquitetura, que ganharam tratamento antichama, formarão um pendente do teto no Boomspdesign
Projeção de como ficará a instalação do arquiteto dinamarquês Adam Kurdahl no fórum Boomspdesign, no Lounge da Bienal, em São Paulo - Divulgação
Carolina Muniz
São Paulo

​Há sete anos, nascia o festival de design de São Paulo, com boa parte das atrações reunidas em um fim de semana. Em 2019, já em sua oitava edição, o Design Weekend mantém o nome, mas se consolida como a maior semana de design da América Latina.

 

Neste ano, serão oito dias de eventos. Em 2018, foram cinco. De 18 a 25 de agosto, a capital receberá mais de 350 atividades. São feiras de negócio, mostras, intervenções, palestras e lançamento de coleções.

“O festival foi amadurecendo e, hoje, é uma data muito importante do calendário do segmento”, diz Lauro Andrade, idealizador do DW, como o evento ficou conhecido.

A ideia é mostrar que o design está em tudo e é para todos. Para envolver o maior número de pessoas, as atividades acontecem em mais de 120 pontos da cidade, sobretudo nos bairros de Vila Madalena, Pinheiros e Jardins.

Conhecida pelas lojas de decoração, a alameda Gabriel Monteiro da Silva é o local que concentra a maior quantidade de ações —mais de 200. 

O São Paulo Expo, na zona sul, recebe uma das principais atrações, a feira High Design, que, nos dias 21, 22 e 23 de agosto exibe lançamentos e tendências de arquitetura. É gratuita, mas exclusiva a profissionais do ramo e lojistas.

No centro da cidade, o destaque é a mostra Modernos Eternos, realizada pela primeira vez no Mosteiro de São Bento. Em 17 ambientes, arquitetos e designers misturam móveis e objetos atuais com peças vintage. Com ingressos de R$ 20 (meia) a R$ 40, o evento vai de 10 a 25 de agosto. 

Esta também será a edição do DW com maior presença estrangeira, com nomes mundialmente reconhecidos entre os participantes. “Entramos definitivamente no circuito internacional”, afirma Lauro.

Com o tema “Soy loco por ti, América”, a feira Made (Mercado, Arte, Design) recebe expositores de diferentes cantos da América Latina —caso de Argentina, México e Guiana Francesa, além do Brasil. 

A cenografia do Pavilhão da Bienal, que abriga o evento, será composta por cores e símbolos dos países, conta Waldick Jatobá, curador da feira.

O homenageado do ano é o arquiteto chileno Smiljan Radic, cuja obra tem como principais características as técnicas de produção artesanal e o diálogo com a paisagem.

Em 2014, ele projetou uma estrutura de 350 metros quadrados, no formato de uma concha, para o Serpentine Pavilion, pavilhão construído anualmente em Londres e desenhado por arquitetos renomados —Oscar Nieyemer, por exemplo, fez o de 2003.

Radic dará uma palestra às 18h no primeiro dia da feira, que vai de 22 a 25 de agosto. Os ingressos custam R$ 40. 

Ali perto, no Lounge da Bienal, o Boomspdesign, fórum internacional, celebra o trabalho do norte-americano Harry Allen, que tem como obra mais conhecida um cofrinho produzido com o molde de um porco de verdade.

O artista levará uma instalação com 200 vaga-lumes feitos por uma impressora 3D, com a anatomia de um inseto real. 

“Ele é um pensador do design”, diz Beto Cocenza, idealizador do fórum, que acontece entre os dias 19 e 21 de agosto.

O evento terá ainda uma instalação do arquiteto dinamarquês Adam Kurdahl, na qual 10 mil folhas de papel usadas por arquitetos formarão um pendente do teto —após ganhar um tratamento antichama.

A entrada é gratuita, mas é preciso se cadastrar pelo site boomspdesign.com.br. 

Design Weekend
De 18 a 25 de agosto, acontece em mais de 120 pontos de São Paulo, com atrações gratuitas e pagas; a programação completa estará disponível a partir de 13 de agosto no site designweekend.com.br

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.