Painel

Editado por Guilherme Seto (interino), espaço traz notícias e bastidores da política. Com Danielle Brant

Salvar artigos

Recurso exclusivo para assinantes

assine ou faça login

Painel
Descrição de chapéu Folhajus

PF sugere falta de ímpeto da PGR em investigação que mira aliados de Bolsonaro

Investigadores trocaram farpas no inquérito dos atos antidemocráticos

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

O inquérito dos atos antidemocráticos virou palco de atrito entre a Polícia Federal e a Procuradoria-Geral da República. O último desentendimento, exposto nos papéis, girou em torno do pedido, revelado pelo Painel, da autoridade policial de busca e apreensão na casa de Fabio Wajngarten, ainda secretário do governo Bolsonaro, e na Secretaria de Comunicação. A PGR se manifestou contra a medida, e a PF sugeriu falta de coerência do órgão e ausência no ímpeto demonstrado no início da apuração.

O argumento da PF se refere ao fato de a PGR ter solicitado dias antes buscas contra deputados, ativistas, jornalistas e apoiadores do presidente, mas ter sido contra as ações na Secom e em cima de Wajngarten.

A leitura na polícia é a de que a procuradoria diminuiu o ritmo pela proximidade dos alvos com o Palácio do Planalto.

Agora, a disputa nos bastidores é sobre o relatório entregue pela PF em dezembro com o resumo das diligências. A PGR entende que a delegada não encontrou provas dos crimes investigados. A polícia entende que não avançou sobre uma parte, até por falta de apoio da procuradoria, e que há outros elementos que necessitam de investigação.

Como mostrou a Folha, a procuradoria busca saídas para a investigação dos atos antidemocráticos.

O primeiro atrito no inquérito aconteceu em junho do ano passado, logo após ser aberto. Na ocasião, a PF foi contra pedidos de busca solicitados pela PGR contra bolsonaristas.

À época, a delegada do caso alegou “risco desnecessário” à estabilidade das instituições ao pedir ao Supremo a postergação ou até o cancelamento da ação.

Augusto Aras durante sabatina na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ)
Augusto Aras durante sabatina na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) - Pedro França/Agência Senado

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.