Descrição de chapéu Obituário Masataka Ota (1956 - 2021)

Mortes: Morre Masataka Ota, vereador em dois mandatos e pai do menino Ives Ota

Após o assassinato do filho, comerciante ficou conhecido por apoiar outras famílias e defender punição maior a crimes hediondos

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O comerciante Masataka Ota, pai do menino Ives Ota, morreu na noite desta quarta-feira (24), aos 64 anos, vítima de câncer. Ele estava internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Ota foi vereador durante dois mandatos em São Paulo (de 2013 a 2020).

Ota ficou conhecido nacionalmente após o sequestro e assassinato do filho Ives, aos 8 anos, em agosto de 1997. Ao lado da mulher, Keiko Ota, ele criou o Movimento Paz e Justiça, ficou frente a frente com os criminosos e os perdoou.

Preferiu a ação: iniciou uma trajetória política marcada pela defesa de leis mais duras para os autores de crimes hediondos e pela redução da impunidade criminal. Essa mesma bandeira política foi defendida por Keiko na Câmara dos Deputados.

O motoboy e os dois policiais acusados de sequestrar e matar o filho do casal foram condenados a penas entre 43 e 45 anos de prisão.

Masataka e Keiko Ota, no quarto do filho Ives Ota - Folhapress

Ives foi levado de sua casa, na Vila Carrão, zona leste da capital. Os sequestradores pediram dinheiro à família, mas teriam decidido matar o menino porque ele reconheceu um dos criminosos, que trabalhava como segurança do pai.

Na época, a família, pioneira das lojas de R$ 1,99, era proprietária de 14 estabelecimentos comerciais.

Além da mobilização contra a impunidade, os Ota ficaram conhecidos por apoiar famílias de outras vítimas da violência. Nos últimos anos, tornou-se comum a presença de Masataka em homenagens e manifestações relacionadas a essas vítimas.

O comerciante nasceu em Tomigusuku, Okinawa, no Japão, e era naturalizado brasileiro. Chegou ao Brasil com um ano de idade. Era pai de Vanessa e Ises, esta nascida depois da morte de Ives.

Após dois mandatos, Ota não conseguiu a reeleição em 2020. Conquistou 9.427 votos e era suplente do PSB na Câmara Municipal.

O ex-governador Márcio França, líder estadual do PSB, despediu-se do ex-vereador com um provérbio japonês, Ichariba Chode, que representa o espírito de união e solidariedade.

"Vai finalmente abraçar seu amado filhinho", disse.

coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.