Descrição de chapéu Campeonato Brasileiro

Pela 2ª vez, concorrência da CBF de direito internacional de TV é cancelada

Empresa vencedora queria acrescentar cessão de imagens a sites de apostas

Rio de Janeiro

A concorrência pelos direitos internacionais de transmissão do Campeonato Brasileiro será realizada pela terceira vez pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol), que recomendou aos clubes nesta terça-feira (30) o cancelamento do último processo, vencido pela empresa Sport Promotion.

Na semana passada, a CBF pressionou os clubes a ampliar o escopo do contrato e incluir a cessão de imagens do Brasileiro para sites de apostas a pedido da empresa, parceira da confederação desde que Marco Polo Del Nero entrou na entidade como vice-presidente, em 2012.

Nesta terça, em reunião com os clubes, a entidade afirmou que a Ernst & Young, auditoria à frente da concorrência, aconselhou a não acatar a mudança.

Dessa forma, os clubes desfizeram o acordo por unanimidade, e um novo processo de concorrência será convocado já com o torneio em andamento –a primeira rodada foi realizada no último fim de semana.

A primeira concorrência foi vencida pela BR Newmedia. Quem assinou o acordo, porém, foi a BR Foot Midia, uma empresa que não existia na época da licitação e com sede em paraíso fiscal. O processo foi cancelado após a empresa atrasar pagamento da primeira parcela do acordo e desistir do negócio.

Em uma segunda concorrência, a Sport Promotion saiu vencedora. A empresa também conquistou o contrato de exploração de placas de publicidade em processo que teve seu resultado revelado pela Folha com mais de um mês de antecipação.

A Sport Promotion possui longo histórico de proximidade com Marco Polo Del Nero, ex-presidente da CBF banido do futebol pela Fifa no ano passado por corrupção. A empresa faturou cerca de R$ 75 milhões em negócios com o governo federal que envolveram a CBF desde 2012.

O primeiro negócio foi a exploração da publicidade estática da Série B do Brasileiro, por indicação do próprio Del Nero, que tinha relações com a empresa na Federação Paulista de Futebol, entidade que comandou.

Quando Del Nero estava na CBF, o grupo dos empresários José Francisco Coelho Leal e João José Bastos (sócio minoritário na Sport Promotion) também fechou acordos com o governo federal, que incluíam o licenciamento nacional para TV aberta e até internacional em caráter de exclusividade dos campeonatos brasileiros das séries B, C e D, e feminino.

Em nota, a Sport Promotion disse que a relação com a CBF é “a que se espera entre uma empresa dedicada ao marketing esportivo com a maior entidade do futebol brasileiro”. A empresa também afirmou que sua relação com Del Nero sempre foi profissional.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.