Descrição de chapéu Campeonato Paulista São Paulo

Sem goleador, São Paulo varia para marcar no Campeonato Paulista

Time tem 11 jogadores com gols marcados na competição

Bruno Rodrigues Toni Assis
São Paulo

Na última vez que o São Paulo chegou à final de um Campeonato Paulista, em 2003, os gols tricolores passavam basicamente pelos pés de Luis Fabiano. Autor de oito gols naquele Estadual, terminou não só como goleador do time, mas da competição, na qual o clube do Morumbi ficou com o vice-campeonato.

Foi a última vez que o São Paulo teve o artilheiro isolado do Paulista --o próprio Luis Fabiano, em 2014, e Gilberto, em 2017, dividiram a artilharia com outros jogadores. Ambos marcaram nove gols cada. 

No último título estadual do clube, em 2005, o artilheiro da equipe foi Diego Tardelli, com 12 gols. O centroavante Grafite, vice-goleador, marcou 8 e Rogério Ceni, que terminaria aquela temporada no topo da artilharia geral, contribuiu com 5 no Estadual.

Realidade bem distinta da vivida pelo time do técnico Cuca na atual edição do torneio. Contratado para esta temporada após bom 2018 com a camisa do Athletico-PR, Pablo é o atleta são-paulino com mais gols no campeonato: 4.

Pablo (esq.) e Igor Gomes comemoram gol marcado pelo São Paulo durante jogo contra o Ituano
Pablo (esq.) e Igor Gomes comemoram gol marcado pelo São Paulo durante jogo contra o Ituano - Paulo Pinto/saopaulofc.net/Divulgação

Sem um atacante que entregue muitos gols, o São Paulo foi obrigado a descentralizar a artilharia. Depois de Pablo vêm Hernanes e Igor Gomes com dois gols cada.

Ainda formam a fila Anderson Martins, Antony, Arboleda, Diego Souza (emprestado ao Botafogo), Éverton, Hudson, Liziero e Reinaldo, que anotaram uma vez cada um.

No total, foram 16 gols em 16 partidas até aqui no Paulista, média de um gol por jogo.

Rendimento não muito expressivo, mas ainda assim melhor que o do Corinthians, adversário neste domingo (14) no primeiro jogo da final, às 16h, no Morumbi. 

Os comandados de Fábio Carille marcaram 14 gols na competição e seu artilheiro, Gustavo, tem o mesmo número de gols que Pablo.

Dos quatro anotados pelo são-paulino, desfalque no Morumbi por problema muscular, três foram dentro da área, dois deles de cabeça desviando cobranças de bola parada.

Aliás, é de dentro da área que saem a maioria dos gols do São Paulo no torneio: 11 --68,7% do total.

A chegada de Hernanes trouxe ao time um atleta com característica de chute de média e longa distância.

Foi em finalizações de fora que o camisa 15 anotou os dois que tem até aqui no Paulista.

O jovem Antony, principal revelação da equipe em 2019, completa com Pablo a lista de gols de fora da área.

A garotada são-paulina, inclusive, é responsável pelos últimos quatro gols do time. Antony marcou diante do São Caetano no empate em 1 a 1, na última partida da primeira fase, resultado que confirmou a classificação ao mata-mata.

Igor Gomes, 20, anotou os dois da vitória por 2 a 1 sobre o Ituano no jogo de ida das quartas de final, no Morumbi. Na volta, em Itu, foi a vez de Liziero, 21, balançar as redes na vitória por 1 a 0 que levou o São Paulo à semifinal do Campeonato Paulista.

Os dois de Igor Gomes e o de Liziero chamam atenção por um detalhe. Meios-campistas, entraram na área para finalizar e terminar as jogadas, característica diferente de Hernanes, por exemplo, que entra menos para finalizar.

Dos 16 gols no torneio, apenas o de Hudson contra o Mirassol, na estreia, teve construção semelhante, com o então volante (agora lateral-direito) chegando de trás para chutar da meia-lua e marcar. 

"O time tem entrado na área porque mudou a característica. Os jogadores têm que entrar na área. É a mudança de característica de toda a equipe. Essa mudança tem o dedo nosso. Mas é claro que a maior parcela vai para o Mancini", disse o técnico Cuca, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (12), às vésperas do clássico mais importante do ano para o São Paulo.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.