Experiente e melhor amigo de Neymar, Daniel Alves tenta liderar seleção

Lateral direito do PSG foi escolhido por Tite para ser capitão da equipe

Diego Garcia Marcos Guedes
Teresópolis (RJ)

Novo capitão da seleção brasileira, Daniel Alves, 36, já chegou a Teresópolis para se juntar ao elenco que vai disputar a Copa América. A braçadeira não é tão novidade assim para o jogador. Com Tite como técnico, o atleta já foi o dono da faixa quatro vezes.

No período em que o treinador realizou rodízio de capitães, Daniel Alves foi o que mais vezes teve a braçadeira. Tite tinha confiança no jogador e havia decidido deixá-lo como líder do grupo na Copa do Mundo da Rússia, mas o atleta lesionou o joelho direito às vésperas da competição e ficou fora.

A conversa com Daniel Alves foi rápida. Tite telefonou para o jogador após conversar com Neymar sobre a perda da faixa, no domingo, antes de o elenco que já estava na Granja Comary deixar Teresópolis para um dia de folga.

Tite vinha pensando em tirar a braçadeira de Neymar havia alguns dias, por atos de indisciplina do jogador no PSG. O atacante agrediu um torcedor após derrota na final da Copa da França, contra o Rennes, e criticou companheiros mais jovens do time francês em entrevista.

"Neymar errou. Por educação, a conversa que enquanto técnico da seleção e pessoa vou ter com ele, primeiro converso com ele. Assim como conversei com o Douglas Costa, assim como conversarei com o Paquetá. Por educação, vou falar com ele primeiro", disse Tite, no dia da convocação.

Daniel Alves também havia criticado Neymar por conta da atitude.

“Era um momento bastante delicado, porque nós tínhamos perdido o jogo e o título, e ele estava de cabeça quente. Foi uma reação, acredito que não acertada naquele momento. Acho que não se pode instigar esse tipo de coisa, tem de ter mais controle. Por mais que seja amigo, não podemos ser a favor desse tipo de coisa, mas acredito que ele tenha aprendido", afirmou.

A influência de Neymar no elenco ainda é muito grande, motivo pelo qual Tite havia o escolhido como capitão logo após a Copa do Mundo —no torneio, o treinador promoveu um rodízio, que teve participações de Marcelo, Thiago Silva e Miranda. 

O atacante foi o líder do grupo nos seis amistosos do segundo semestre de 2018. Mas, após os atos de indisciplina, Tite se viu sem escolha a não ser tirar a faixa de Neymar, para não correr o risco de parecer sem comando.

Daniel Alves é o melhor amigo do atacante. E também o mais velho e mais experiente do grupo atual. De acordo com pessoas próximas ao técnico, Tite respeita muito Daniel Alves por conta de sua história na seleção e levou em consideração o passado do jogador com a camisa do Brasil para decidir passar a faixa ao atleta, sem relação com a proximidade de Neymar.

Tite também vê com bons olhos a personalidade forte de Daniel Alves e a maneira como ele costuma agir com os jogadores e os amigos feitos no futebol. Por exemplo, com o próprio Neymar. O lateral defende o atacante em praticamente todas as entrevistas que dá. À Folha, em janeiro deste ano, apontou que o considera como um filho —são nove anos de diferença entre a dupla.

"O Neymar, para mim, é como um filho, apesar da irmandade que temos. Eu sei tudo o que passa na cabeça dele. Só que o Neymar é muito inteligente, as pessoas que não o conhecem acham que o Neymar é o moleque avoado. Ele tem uma coisa hoje que causa a maior inveja nas pessoas. É milionário, famoso, bonito… Então, não tem jeito", disse Daniel Alves.

Na mesma entrevista, o atleta apontou que, por sua experiência, fez mais falta no vestiário do que em campo na Copa da Rússia. "Não fiz falta como jogador, mas como espírito e como alma eu acredito que sim. Eu consigo, onde eu estou, criar um ambiente muito saudável, um ambiente de soluções e não de problemas", afirmou.

Neymar e Daniel Alves comemoram gol do PSG na final da Copa da França, contra o Rennes
Neymar e Daniel Alves comemoram gol do PSG na final da Copa da França, contra o Rennes - Anne-Christine Poujoulat - 27.abr.19/AFP

Tite o queria como capitão na Copa do Mundo, mas sua lesão acelerou o processo de revezamento da faixa no Mundial. Mais velho do grupo de convocados, e também o mais experiente com a camisa da seleção, o lateral tem a simpatia do treinador também pela influência que costuma exercer no vestiário.

 
Na atual temporada, Daniel Alves atuou em 32 partidas, somando 2.248 minutos pelo PSG. Computou 20 vitórias, 5 empates e 7 derrotas. Foram três gols marcados. Ele só começou a atuar em novembro, por causa da mesma lesão que o tirou do Mundial pela seleção.

Segundo pessoas próximas, Neymar não aparentou incômodo com a perda da faixa. Após a conversa com Tite, foi com seu helicóptero para sua mansão em Mangaratiba, onde passou o domingo e a segunda com amigos e parentes.

Com 39 títulos oficiais na carreira, Daniel Alves tem 108 jogos pela seleção brasileira, com 7 gols e 18 assistências. Ao todo, atuou em 7.714 minutos com a camisa do Brasil e é o sexto jogador que mais vezes defendeu a equipe, empatado com o ex-goleiro Taffarel, hoje membro da comissão técnica.

Em jogos oficiais, são 56 partidas, com 4 gols e 11 assistências. Daniel Alves levantou três títulos pela seleção: a Copa América de 2007 e as Copas das Confederações de 2009 e 2013.

Essa também será a quinta Copa América de Daniel Alves pela seleção. Ele esteve presente, além de 2007, na Venezuela, nas edições de 2011, na Argentina, de 2015, no Chile, e de 2016, nos Estados Unidos. Foi titular em 13 de 17 partidas nessas competições, com um gol e cinco assistências.

Veja datas e horários dos jogos do Brasil na Copa América

14/6 - Brasil x Bolívia, em São Paulo, às 21h30 (de Brasília)
18/6 - Brasil x Venezuela, em Salvador, às 21h30 (de Brasília)
22/6 - Peru x Brasil, em São Paulo, às 16h (de Brasília)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.