Descrição de chapéu Velocidade

Série mostra feitos e controvérsias de pilotos brasileiros na F1

Polêmicas de Nelsinho e Rubinho estão entre as histórias contadas por produção do Canal Brasil

São Paulo

"Você vai acabar com a carreira dele e eu vou acabar com a sua", relembra Nelson Piquet ao relatar a dura conversa que teve com Flavio Briatore, ex-chefe da equipe Renault, dias antes de Nelsinho Piquet, filho do tricampeão, ser demitido da escuderia.

A saída do brasileiro era uma tentativa do italiano de abafar o que se tornaria um dos maiores escândalos da F1. Mas foi justamente após a sua demissão que Nelsinho revelou a armação no GP de Singapura de 2008, quando o dirigente exigiu que ele batesse seu carro deliberadamente como parte de uma estratégia para beneficiar o então companheiro Fernando Alonso, que ficaria com a vitória.

A reconstituição dos bastidores da polêmica envolvendo a família Piquet, Briatore e a equipe Renault faz parte da série documental "Brasil na Pista", que estreia nesta sexta-feira (11), às 18h50, no Canal Brasil e no streaming.

Dividida em oito capítulos, a obra dirigida pelo jornalista Ernesto Rodrigues apresenta 64 histórias sobre a participação dos brasileiros na principal categoria do automobilismo mundial, incluindo os grandes feitos e momentos de controvérsia.

"Nesse caso do Nelsinho, a minha contribuição é aumentar o leque de fatos e atitudes que envolveram esse momento da carreira dele. É claro que foi grave o que ele fez, mas na série é possível ver que houve uma circunstância. É possível fazer uma ponderação", diz Rodrigues.

Outros ex-pilotos brasileiros entrevistados pelo jornalista apontam que seria difícil para Nelsinho bater de frente com o poderoso Briatore. O plano dele foi revelado por Nelson Piquet um ano depois da corrida, após o filho ser demitido da Renault.

O tricampeão resolveu levar o caso à Federação Internacional de Automobilismo. "Perguntei ao Nelsinho: 'você quer sair da F1 com o rabo entre as pernas ou quer dar uma cacetada que vamos ganhar um dinheiro e pegar um ressarcimento da Renault?'. Era a vida dele", contou na série.

"Brasil na Pista" mescla depoimentos e imagens de corridas para retratar vários episódios que marcaram a história dos brasileiros na categoria. Ao todo, foram 34 entrevistas, que incluem 20 ex-pilotos e jornalistas especializados de seis países.

"Foi um grande investimento. Até acabou o dinheiro durante a produção, porque eu comprei muitas fotos, gastei mais do que podia. Também consegui um bom acordo com a Liberty Media, que controla a F1, e eles cederam o uso das imagens das corridas. Em contrapartida, a série será exibida no site da categoria", conta Rodrigues.

A produção não segue linha cronológica nem mergulha em números das carreiras dos pilotos. Segundo o autor, a ideia era retratar os dramas humanos por trás do esporte.

Assim, ele apresenta como foi para cada um dos pilotos entrevistados o desafio de buscar espaço no grid. Eles são unânimes ao apontar o bicampeão Emerson Fittipaldi como o principal responsável por abrir e pavimentar o caminho para o Brasil.

"Entre nós três [Piquet, Senna e Fittipaldi], o mais importante foi o Emerson. Ele foi o primeiro. O resto depois foi moleza", disse Nelson Piquet.

O trio soma oito títulos. Imagens de todas essas conquistas fazem parte da série e há momentos curiosos, como uma disputa entre Senna e Rubens Barrichello durante o GP da Europa de 1993.

Rubinho também aparece em outra polêmica. O episódio em que ele aceitou uma ordem da equipe para que Michael Schumacher, seu companheiro na Ferrari, o ultrapassasse para ficar com a vitória no GP da Áustria de 2002.

Barrichello relata que tentou negociar com a escuderia pelo rádio durante oito voltas antes de cumprir a ordem de deixar o alemão ultrapassá-lo. Entre os entrevistados por Ernesto Rodrigues, a maioria diz que também acataria a determinação.

O bicampeão Emerson Fittipaldi está entre as exceções. Ele afirma que tentaria se fazer de desentendido.

"Dos entrevistados, apenas três disseram que não fariam isso. Dois são campeões, o Nelson e o Emerson, e o Tarso Marques. Os outros todos deram razão ao Rubinho. Isso é uma coisa que os brasileiros precisam ouvir na hora de fazer um juízo sobre a carreira dele", afirma Rodrigues.

A série vai ao ar no Canal Brasil sexta (11) e sábado (12), às 18h50, com quatro episódios em sequência em cada dia. Todos estarão disponíveis a partir desta sexta também nas plataformas de streaming Globoplay e Canais Globo.​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.