Hora do banho em dias de quarentena pode virar embate entre pais e filhos

Pediatra afirma que hábitos de higiene são importantes mesmo quando criança não sai de casa e sugere brincadeiras no chuveiro

São Paulo

Helena Maciel tem na ponta da língua o porquê de todo mundo tomar banho todos os dias: “Porque a gente está com bactérias e sujeiras”.

Mas quando o assunto é quarentena, as coisas mudam um pouco de figura na casa da menina de quatro anos na cidade de São Paulo. Agora, em isolamento, Helena foge do chuveiro. “A mamãe tem que me mandar tomar banho”, confessa a garota.

Ilustração de criança tomando banho e, em balões mostrando sua imaginação, animais como elefante, dragão e cervo
“Tente tornar o momento de tomar banho algo lúdico, associando a algumas brincadeiras, contando histórias, usando brinquedos como tintas laváveis para escrever no azulejo e bichinhos de plástico”, diz a pediatra Kelly Oliveira - Catarina Pignato

“Ela diz que não precisa porque não sai na rua para se sujar. Se deixar, não tira nem o pijama”, conta Luciana Gonzales dos Santos, 41, mãe de Helena e de Isabela, 11. A irmã mais velha, aliás, às vezes também integra o motim. “Ela não quer lavar o cabelo e preciso pegar no pé para escovar os dentes”, diz.

A mãe apela para um misto de emoção e razão ao argumentar com as meninas. “Digo que elas têm que tomar banho porque eu gosto de enchê-las de beijo, cheirosinhas e sem o cheiro da nossa cachorrinha Lola. Digo também que, se não tomamos banho, ficamos doentes por causa das bactérias trazidas pela sujeira”, conta. Ainda assim, as meninas relutam.

A pediatra Kelly Oliveira explica que, mesmo quando não saímos de casa, como acontece durante o isolamento por causa da epidemia de coronavírus, os hábitos de higiene são importantes.

“O banho ajuda a refrescar, eliminar todas as sujidades do corpo e ainda minimiza os riscos de contaminação. É uma forma de combatermos a doença”, explica.

Helena conta que “faz ginástica” junto com a família, que tenta se manter ativa. “Fazemos exercícios funcionais todos os dias”, diz a mãe.

Para a pediatra, esta é uma ótima resolução. Segundo a médica, é fundamental tentar manter a rotina da criança o máximo possível, incluindo atividades com as quais se gaste um pouco de energia.

“Pode ser pular, correr, fazer um circuitinho interno, algum desafio que o mantenha motivado”, sugere a pediatra. Assim, também surge uma boa justificativa para convocar os pequenos para o banho, depois de suar um pouquinho.

“Tente tornar o momento de tomar banho algo lúdico, associando a algumas brincadeiras, contando histórias, usando brinquedos como tintas laváveis para escrever no azulejo e bichinhos de plástico”, diz a médica.

Segundo Kelly, isso ajuda a criança a ficar mais feliz e a querer estar debaixo do chuveiro. “Se for sempre uma briga, a tendência é que a criança cada vez menos queira fazer isso e lute contra esse momento”, afirma.

“Eu corria na quadra, só que não pode mais”, conta Rafael Rosada, 6, que, agora em quarentena, não tem praticado mais nenhum exercício. Se ele sabe que, mesmo assim, é preciso tomar banho?

“Precisa, sim, porque a gente fica o dia inteiro no chão, sabe? E se suja”.

Na teoria, parece ótimo, mas a mãe Renata Rosada, 47, conta que, na prática, é mais complicado. “É aquilo de ter que falar mil vezes e ele negociando. Sempre tem um certo estresse nesse momento. Como não temos saído, ele usa isso como um argumento”, diz.

Renata tem negociado com Rafael. A mãe não abre mão do banho nunca, mas, em alguns dias, deixa que o menino não lave o cabelo, por exemplo.

“Explico sempre que higiene é uma coisa diária. Não é porque a gente está sentado no sofá o dia inteiro que não precisa tomar banho, o corpo transpira”, diz Renata.

A pediatra Kelly Oliveira sugere que os pais façam um combinado com a criança. “Avise com antecedência que a hora do banho está chegando e diga quanto tempo a criança vai poder brincar no chuveiro. Se vão ser 10 minutos, se vão ser 15. Além disso, dê opções a ela, como escolher o sabonete que vai usar”, recomenda a médica.

“É muito importante manter a higiene nesse momento. Orientar as crianças que elas devem lavar as mãos porque o bichinho fica nelas. Se a gente explica para a criança por que isso é importante, ela vai se convencer”, afirma a pediatra

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.