Passageiro da Gol com escala em São Paulo poderá optar por ficar no estado sem custo extra

Governo afirmou que outras dez companhias aéreas estão trabalhando para oferecer o serviço de stopover

Marina Estarque
São Paulo

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta nesta quarta-feira (21), junto com o presidente da Gol, Paulo Kakinoff, o lançamento do serviço de stopover para os clientes da companhia.

O serviço permite que passageiros com escala em aeroportos paulistas optem por permanecer pelo menos um dia em alguma cidade do estado, sem custos extras. A iniciativa tem o objetivo de incentivar o turismo.

Segundo Kakinoff, a partir desta quarta todos os passageiros da companhia, de voos nacionais ou internacionais, já podem optar pelo stopover nos aeroportos de Guarulhos, Congonhas e Viracopos, em Campinas.

Avião da Gol Linhas Aéreas decola do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo (SP) - Paulo Lopes/Futura Press/Folhapress

Ao comprar a passagem, o cliente escolhe se quer passar uma ou duas noites na cidade de conexão. O stopover só pode ser feito uma vez para cada bilhete, ou seja, ou na ida ou na volta.

A partir de janeiro os parceiros comerciais que operam com a Gol também vão adotar o stopover. O governo afirmou que outras dez companhias aéreas estão trabalhando para oferecer o serviço.

“Esse é o primeiro projeto de stopover no Brasil, nunca existiu esse serviço oferecido por uma companhia aérea. E está sendo feito agora de forma exclusiva para o estado de São Paulo, é parte de um programa muito abrangente do governo do estado”, afirmou Kakinoff, da GOL.

O stopover faz parte de um pacote de medidas para o setor, que inclui a redução do ICMS sobre o querosene de aviação, anunciado em fevereiro pelo governo do estado.

“[O stopover] é uma forma de incentivar o turismo, aumentar a geração de receita para capital e para o estado, e colocar o Brasil e São Paulo no contexto internacional. É uma prática que funciona muito bem em países desenvolvidos e ainda não implementada, pelo menos não formalmente, no Brasil”, disse Doria.

O secretário de Turismo, Vinicius Lummertz, disse que o stopover foi modelado tendo como inspiração Lisboa, em Portugal. Segundo ele, com o programa, o governo pretende duplicar o número de turistas internacionais.

O governo espera que o pacote gere 59 mil empregos e R$ 6,9 bilhões, em um ano.

“A economia brasileira tendo crescido cerca de 0,5 nesse semestre, o turismo no estado de São Paulo cresceu 7,7% [no mesmo período]”, disse o secretário.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.