Morre o quinto menor de idade da Guatemala detido pela polícia de fronteira dos EUA

Adolescente de 16 anos morreu após sete dias sob custódia das autoridades americanas

Cidade de Guatemala | AFP

Um adolescente de 16 anos morreu nesta segunda-feira (20) sob custódia da polícia de fronteira dos Estados Unidos. Trata-se da morte do quinto menor de idade da Guatemala nessas circunstâncias desde dezembro de 2018.

O jovem, identificado como Carlos Gregorio Hernández Vasquez, "foi encontrado inconsciente nesta manhã durante uma ronda" na estação fronteiriça de Weslaco, no Texas, afirmou a autoridade de imigração dos EUA.

O órgão acrescentou que a causa da morte é desconhecida e que uma investigação foi aberta

O menor foi detido em 14 de maio próximo a Hidalgo, no Texas. No domingo, alertou que passava mal, de acordo com oficiais americanos.

"Ele foi examinado e diagnosticado com influenza A", disse um agente da polícia à emissora CNN. O médico receitou um antigripal ao jovem e ele foi transferido para uma instalação separada em Weslaco para evitar o contágio de outros detidos. 

Cerca de uma hora depois, foi encontrado morto. Vasquez estava prestes a ser levado para o centro juvenil da Clínica de Saúde e Assistência Social de Reassentamento de Refugiados (HHS, na sigla em inglês) quando morreu. 

De acordo com a legislação federal americana, os menores desacompanhados devem ser transferidos a uma clínica desse tipo no máximo 72 horas depois de serem detidos. 

Não se sabe por que Vasquez ainda não tinha sido transferido

A diplomacia guatemalteca informou que o jovem vinha da província de Baja Verapaz e que havia entrado nos EUA buscando "reunificação familiar". 

"O governo da Guatemala lamenta o falecimento desse menino guatemalteco, apresenta suas condolências à família e solicita às autoridades americanas que se pronunciem sobre a causa da morte e apontem os responsáveis pelo ocorrido com urgência", afirmou a chancelaria em um comunicado. 

Milhares de guatemaltecos e centro-americanos viajam à fronteira dos Estados Unidos com o México buscando fugir da pobreza e violência de seus países. Muitos deles levam consigo os filhos menores de idade, alguns esperando que as crianças e adolescentes sejam uma garantia de que receberão asilo para permanecer nos EUA.

Histórico de mortes

Desde dezembro do ano passado, cinco jovens e adolescentes da Guatemala morreram após serem detidos pela polícia de fronteira americana.

O primeiro caso ocorreu em 8 de dezembro. Jakelin Caal, de sete anos, vinha do município indígena de Raxruhá e morreu em um hospital nos EUA após cruzar a fronteira de forma ilegal com seu pai. 

Na semana passada, um menino de dois anos morreu três dias após ter sido detido com sua mãe próximo à ponte internacional de Paso do Norte, que separa a cidade americana El Paso da mexicana Cuidad Juárez.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.