Descrição de chapéu Brexit

Governo britânico divulga previsões pessimistas para brexit sem acordo

Documento aponta risco de interrupção no abastecimento de remédios e alimentos

Londres | Reuters

As previsões do governo britânico para um brexit sem acordo incluem risco de interrupção do abastecimento de remédios e alimentos frescos, paralisações do tráfego em vias que ligam a ilha ao continente e protestos em todo o país.

O diagnóstico faz parte de um relatório publicado nesta quarta-feira (11) que traz as hipóteses do pior cenário possível no caso de uma saída da União Europeia (UE) sem um pacto que regule as relações entre o bloco e os britânicos.

Anúncio do governo do Reino Unido faz parte de uma campanha para informar os britânicos sobre as consequências do brexit
Anúncio do governo do Reino Unido faz parte de uma campanha para informar os britânicos sobre as consequências do brexit - Toby Melville/Reuters

"A disponibilidade de alguns tipos de alimentos frescos diminuirá", afirma o documento. "Há o risco de que esse cenário seja causado ou agravado por pessoas que reajam fazendo compras excessivas."

O texto também estima que veículos de carga possam demorar até dois dias e meio para cruzar o Canal da Mancha, onde o tráfego pode cair até 60% nos dias seguintes ao brexit. 

Como consequência, o fornecimento de combustível pode ser fortemente prejudicado. 

A entrada e saída de britânicos dos países europeus, serviços financeiros internacionais e o compartilhamento de informações com autoridades de segurança estrangeiras também deverão ser afetados, prevê o governo britânico.

O relatório foi preparado em 2 de agosto, apenas nove dias após o primeiro-ministro Boris Johnson assumir o cargo. 

O governo considera que empresas e órgãos públicos estarão pouco preparados para uma saída sem acordo devido à crescente confusão política em torno do divórcio do bloco, atualmente programado para o 31 de outubro.

"O fato de o governo ter tentado ignorar esses alertas graves e impedir o público de ter acesso a eles é totalmente irresponsável", disse a porta-voz do Partido Trabalhista, Keir Starmer.

"Boris Johnson precisa admitir que ele foi desonesto com o povo britânico em relação às consequências de um brexit sem acordo."

Ainda nesta quarta, um tribunal de apelações da Escócia julgou ilegal a suspensão das atividades do Parlamento britânico por cinco semanas feita a pedido de Boris. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.