Descrição de chapéu

'Comparar Lula a Hitler é ignorância ou má-fé', afirma leitor

Leitores comentam artigo do psicanalista Francisco Daudt publicado na quinta-feira (12)

Lula

A respeito da reportagem sobre a tentativa de governadores do Norte e Nordeste de visitarem o ex-presidente Lula em Curitiba, cabe uma pergunta: quem bancou os custos dessa viagem desnecessária?

Avenir Della Beta (Caieiras, SP)

 

 

Extremamente lúcida e didática a entrevista do professor Renato Lessa. Que os petistas e nacionalistas de fato leiam e reflitam. É melhor perder os anéis do que os dedos.

Iracema Góes, médica (Jacareí, SP)

 

Não é a primeira vez que vejo paralelos entre a esquerda e regimes totalitários. O texto de Francisco Daudt, transmite-me uma mensagem de má-fé, ao querer “assustar” os leitores, comparando a penetração das ideias de Lula à das de Hitler. Será que ele não estava se referindo a Jair Bolsonaro? Por favor, intelectuais do Brasil, tenham mais compromisso com o debate.

Marcia Adriana Targa Gonçalves, pedagoga (Atibaia, SP)

 

Muito feliz o artigo. Lembrou-me o documentário: “Minha Luta”, que acompanha a ascensão e a queda do nazismo.

Maria Aparecida Mezzalira Gomes (Jundiaí, SP)

 

Comparar Lula a Hitler —inclusive na questão da propaganda— tem duas explicações possíveis: ignorância ou má-fé. Quem sabe seja o caso de desligar a TV e passar os olhos numa bibliografia minimamente respeitável. 

Francisco J. Bueno de Aguiar (São Paulo, SP)

 


Ótima comparação. A sorte do Brasil é que o momento é diferente, apesar dos incautos petistas acreditarem no seu maior líder.

Wagner de Carvalho Garcia (Maceió, Al)


Alckmin

Não há nada mais cômodo do que se abrigar no discurso de que é a favor de que todos os políticos sejam presos e ignorar as notícias que confirmam a enorme diferença entre o tratamento dispensado à direita e o dado à esquerda (“STJ tira Alckmin da rota da Lava Jato de São Paulo”). Não há nada mais cômodo do que invocar argumentos calcados na isonomia e depois retirar da consciência todos os seus efeitos práticos.

Mike Lopes Moreira (São Paulo, SP)

 

Há muito, sou eleitora de Alckmin, mas digo: tem de ser investigado, processado e, se condenado, preso. E, se nada houver, que seja absolvido. O país precisa ser passado a limpo. O político deve agir em prol do interesse público. Se ele atuar com interesse pessoal, e ainda ilicitamente, deve responder penalmente. 

Neli Faria (São Paulo, SP)

 

É assim que se começam o procedimento de engavetamento e as táticas protelatórias para perpetuar os protegidos de São Paulo.

Tereso Torres (Brasília, DF)


Facebook 

Sobre os motivos que levaram Mark Zuckerberg a depor no Congresso, relembro a frase: não existe almoço grátis. Ora, o pagamento “cobrado” por utilizarmos o Facebook é o fornecimento de nossos dados. Simples assim.

Helena Kessel (Curitiba, PR)

 

Saber que 87 milhões de usuários do Facebook tiveram seus dados pessoais colhidos de forma imprópria é assustador. Todo cidadão tem direito à privacidade.

Laura Andrade e Maria Fernanda Camargo, estudantes do ensino médio (Leme, SP)


Prisão após 2ª instância

A Lava Jato é, sem dúvida, uma positiva unanimidade nacional. Por isso, desperta rancor e ranger de dentes, sobretudo dos Poderes Executivo e Legislativo. Surpreende, porém, que a maior ameaça à operação habite o Judiciário na mais alta corte. Fragmentado e instável, o STF vem escancarando posições pessoais contaminadas por interesses partidários e corporativos. Um retrocesso quanto à possibilidade de prisão após condenação em segunda instância será uma fulminante pá de cal na Lava Jato.

Nacim Chieco (São Paulo, SP)


Judiciário

Não obstante o nosso dispendioso Judiciário ter um ritmo lerdo, férias em torno de 60 dias e excesso de  demandas, semanalmente vemos no noticiário juízes e autoridades da área em pleno dia útil fazendo palestras e marcando presença em eventos bem distantes das cidades onde atuam —alguns até no exterior, e vários com remuneração generosa. Essas condutas acirram o descrédito na Justiça.

Alfredo Sternheim, jornalista, cineasta e professor (São Paulo, SP)


Militares

Laerte representa em cinco quadros o que muitos estão pensando sobre o que eles, militares, estão pensando. Os militares, assim como a população, perplexa diante da megarroubalheira, devem mesmo estar perambulando a chutar pedrinhas e cismando.

Úmero Card’Osso, poeta (São José dos Campos, SP)


Frei Caneca

Que tristeza (“Assaltos violentos, com agressão a vítimas, levam medo à Frei Caneca”). Uma área tão animada, superturística, cheia de cultura, bares e restaurantes. Quando as autoridades vão tomar alguma providência? 

Matheus Lourenço (São Paulo, SP)


Água

Em relação à entrevista do médico Paulo Saldiva sobre problemas de saúde causados por água contaminada, a Sabesp garante a qualidade da água fornecida. A companhia, porém, não pode atender áreas irregulares por força de lei federal. Infelizmente, nesses locais os moradores recorrem a ligações clandestinas, sujeitas à contaminação. No litoral, essa água pode acabar sendo usada na fabricação do gelo que acompanha produtos vendidos na praia, prejudicando a saúde da população.

Roberto Pellim, gerente de imprensa da Sabesp


PARTICIPAÇÃO

Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.