Leitores comentam fala de Bolsonaro sobre vaga evangélica no STF

'O Estado é laico, mas somos cristãos', afirma presidente em culto na Câmara

Ministro evangélico no STF
No momento em que um presidente da República decide a partir do viés religioso-ideológico e não pela competência, estamos sedimentando a falência do Estado ("Bolsonaro diz que indicará para vaga no STF ministro 'terrivelmente evangélico'").
Joaquim Parron Maria (Curitiba, PR)

O presidente Jair Bolsonaro participa de culto na Câmara dos Deputados - André Coelho/Folhapress

Que seja "terrivelmente evangélico" ou "magnanimamente ateu" não importa. O que realmente importa é que seja totalmente honesto e fiel aos ditames da Carta Magna. O resto é perfumaria.
Elcio Henrique Lacerda (Uberaba, MG)

O Brasil é um país laico e sempre o será. A insistência do presidente Bolsonaro em colocar um ministro evangélico passa a impressão de que a corte não tem rumo. Os ministros do Supremo Tribunal Federal têm que se pautar pela ética e pela moralidade e isso não depende de religião alguma.
Luciano Vettorazzo (São José do Rio Preto, SP)

Como as pessoas são preconceituosas! Temos um monte de feriados religiosos, e ninguém fala disso. É pura hipocrisia.
Carlos Henrique Diehl Bragança (Campo Grande, MT)

Como se não bastasse a polarização na política, agora querem partir para o extremismo religioso. Onde vamos parar?
Natanael Batista Leal (Brasília, DF)


Doador de sangue
Demagogia barata ("Comissão do Senado aprova meia-entrada para doadores de sangue"). São os políticos bonzinhos, sorrindo para todos, fazendo bondades com o dinheiro dos outros para faturar votos nas próximas eleições. Quem é doador de sangue não precisa desse tipo de incentivo. É uma opção pessoal.
José M. Leal (Campinas, SP)

Acho que é uma excelente iniciativa. Eu sou doador de sangue e incentivo todos a serem também. A solidariedade com o próximo é um gesto de nobreza.
João Pedro Sousa (São Paulo, SP)


Cartel no metrô
Sobre a reportagem "Cade condena 11 empresas por cartel que atuou no metrô em gestões tucanas", esclareço que, assim que tomei conhecimento dos fatos, determinei a investigação pela Corregedoria-Geral da Administração, e a Procuradoria-Geral do Estado ajuizou ação contra as empresas envolvidas para ressarcimento dos prejuízos causados aos cofres públicos. Importa destacar que o estado de São Paulo foi vítima, a exemplo do que ocorreu nos estados de Minas Gerais e Rio Grande do Sul e no Distrito Federal.
Geraldo Alckmin, ex-governador de São Paulo

O editorial "Trens e tucanos" é faccioso ao tentar responsabilizar o PSDB pelo cartel cometido por empresas numa situação em que o governo foi vítima. Nenhum político da legenda foi condenado nessa prática ilegal que ocorreu em quatro estados. Infelizmente não foi citado, mas vale ressaltar, que somente em São Paulo as companhias foram processadas e foi instaurada uma investigação que afastou agentes públicos. Não se tem notícia de que outros estados e estatais federais tenham tomado as mesmas providências.
Marco Vinholi, presidente do diretório estadual do PSDB-SP 


Previdência
Enquanto policiais federais, incluindo os rodoviários e os legislativos, que recebem salários muito acima da média nacional e trabalham em ótimas condições com risco baixíssimo, são vergonhosamente beneficiados por essa corriola fascista, os operários da construção civil vão carregar tijolos até os 65 anos ("Bancada da bala consegue acordo por aposentadoria mais branda para policiais"). O sacrifício não era de todos?
Joaquim Salomão (Curitiba, PR)


Mensagens vazadas
Os fins não justificam os meios. Hackear e espalhar criminosamente o produto torpe para tentar atingir a imparcialidade inquestionável do juiz Sergio Moro e destruir a Lava Jato é um crime inaceitável. Deltan Dallagnol, se realmente é ele quem fala, apenas concorda com a decisão do STF ("Intercept divulga primeiro áudio de Deltan para procuradores da Lava Jato"). Os promotores devem ser hostis ao STF?
Rui Izukawa (São Paulo, SP)

Algo tão escancarado, tanto a falta de isenção de membros do MP e do ex-juiz quanto a conspiração para impedir a candidatura do Lula. E existem pessoas que ainda contestam a confirmação do que já se sabia. Faltava apenas a materialização dos fatos. Aí está.
Ednaldo Miranda de Freitas (Coronel Fabriciano, MG)


Mais Médicos
Como tudo neste desgoverno é feito sem o mínimo de planejamento e cheio de sentimento de ódio, revanchismo e muita ideologia, aconteceu o que todos já sabíamos: os médicos brasileiros não querem trabalhar nos locais distantes e sem infraestrutura ("Governo Bolsonaro quer reintegrar cubanos no Mais Médicos"). Se fossem menos atabalhoados, poderiam ter negociado um ajuste desde o início do governo e milhares de brasileiros não teriam ficado sem assistência médica.
Jane Maria S. da Silva (Rio de Janeiro, RJ)


Ideologias

Ilustração de Angelo Abu para João Pereira Coutinho de 9.jul.2019
Angelo Abu

Excelente a coluna do escritor João Pereira Coutinho sobre a matéria da revista The Economist diferenciando o conservadorismo pragmático da "nova direita" com "espirito reacionário" ("A doença das ideologias"). Gostei de finalmente ler um conservador qualificado e assumido fazer considerações críticas sobre essa era de populismo fortemente ideológico da nova direita. Sinto falta e seria muito interessante ler a opinião de outros articulistas conservadores sobre esse tema. É preciso coragem para discordar e poder ser impopular.
Marcos Galan Morillo (São Paulo, SP)


Literatura

O escritor Euclides da Cunha
O escritor Euclides da Cunha - Arquivo ABL

Ninguém contesta que autor de "Os Sertões" mereça ser homenageado. Só não se entende é a mídia —inclusive a Folha— dar maior realce à traição sofrida pelo escritor Euclides da Cunha do que à análise de sua obra como o cenário e personagens.
Shigueyuki Yoshikumi (Lins, SP)


Paulo Henrique Amorim

De forma elegante, Paulo Henrique Amorim impunha seus mais firmes pontos de vista ("Jornalista Paulo Henrique Amorim morre aos 76 anos"). Jornalista de estirpe liberal na fala, mas contido na expressão corporal, fará falta, como Paulo Francis. Contundência em falta nestes tempos horripilantes do nosso Brasil.
José Flávio Viana Guimarães (Uberlândia, MG)


PARTICIPAÇÃO

Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.