Nosso sistema tributário é um Robin Hood às avessas, diz leitor

Leitores criticam Bolsonaro por exame de coronavírus

Desigualdade
Excelente o artigo de Oded Grajew desta sexta-feira (20/3), sobre a indecente desigualdade social do Brasil ("Nossas desigualdades são vergonhosas, inconstitucionais, estúpidas e matam"). Não é possível que apenas 5% da população mais rica ganhe 95% da renda nacional e que 0,1% dos brasileiros mais ricos possuam 48% da riqueza do país. A reforma tributária é algo básico e essencial, eis que nosso sistema regressivo é um autêntico Robin Hood às avessas. Até quando?
Renato Khair (São Paulo, SP)

Exame de Bolsonaro
Alguém ainda tem dúvida de que Bolsonaro está contaminado? É óbvio que ele está escondendo a notícia para não ter que lidar com as consequências de ter colocado a vida de vários brasileiros em risco, indo à manifestação e tocando em pessoas. Em um momento em que representantes políticos do mundo todo estão extremamente preocupados com vidas, esse senhor fala em fantasia e histeria e se comporta sem o menor senso de responsabilidade.
Naiara Moreno (São Paulo, SP)

Entrevista coletiva com Bolsonaro - Mateus Bonomi/AGIF


O presidente tem obrigações com a nação, e uma das principais é dar satisfação de sua saúde ("Bolsonaro se nega a mostrar exames que, segundo ele, deram negativo para coronavírus", Poder, 20/3). Sobre sua saúde mental, temos exemplos diários de que ela é fraca, mas, em se tratando de pandemia, a sua contaminação ou não pelo coronavírus precisa ser comunicada.
Noel Neves (Poços de Caldas, MG)

Igual motorista embriagado que se recusa a fazer o teste do bafômetro. Quem não deve não teme.
Maria da Conceição Rocha (Vila Velha, ES)

Bolsonaro age como um covarde ao não se apresentar publicamente e não assumir que, mais do que nunca, está isolado. Qual é o problema de estar doente? Muita gente vai ficar doente. Os de seu entorno já estão. Assumir-se é sinal de maturidade. Bolsonaro tem muita dificuldade em entender o básico do básico. É muito infantil. O povo deveria exigir sua renúncia.
Roberto Gomes (São Calos, SP)


Coronavírus
Políticos aproveitam a pandemia para se apresentarem como paladinos da saúde. Em São Paulo, Doria e Covas programam coletivas sempre no horário de jornais do almoço para "recomendarem ou determinarem" isso ou aquilo. A noite, é a vez de Bolsonaro. Secretário municipal de Transportes de São Paulo diz que vai fazer limpeza em terminais e ônibus e depois mandar a conta para as empresas. Isso não existe nos contratos entre prefeitura e empresas de ônibus. Esses personagens não têm moral para se apresentarem à população. Parabéns, sim, aos médicos e profissionais de saúde.
Reinaldo de Miranda (São Paulo, SP)

Vale lembrar aos representantes de associações como Fiesp, Firjan e Febraban e aos ligados ao agronegócio a pertinência de ajudarem concretamente, doando respiradores, leitos e equipamentos de proteção de profissionais de saúde, bem como cedendo ou adaptando espaços para atendimento de infectados.
Patricia Porto da Silva (Rio de Janeiro, RJ)


Ensino a distância
Felizmente, neste ambiente de escuridão em que vivemos, surge um farol no texto de Claudia Costin ("Educação e coronavírus", Opinião, 20/3).
Aluísio Dobes (Florianópolis, SC)

Teste para aula à distância pelo colégio Porto Seguro
Teste para aula a distância no colégio Porto Seguro - Divulgação

Panelaços
Bolsonaro já passou a ideia de que o coronavírus é uma fantasia, uma gripezinha ("Não estou preocupado com panelaço, diz Bolsonaro após três dias seguidos de protestos", Poder, 20/3). Vemos em reportagens, até de emissoras que o apoiam, a falta de mobilização social para medidas preventivas no combate ao coronavírus. Soa hipócrita, agora, mudar o discurso diametralmente. O povo percebe e entende como uma assunção de culpa. Fica pior a emenda que o soneto.
Ernesto Santos (São Paulo, SP)

As palavras do chefe do clã Bolsonaro me fizeram lembrar de uma frase célebre do filósofo espanhol Ortega y Gasset: "Pior que ter uma doença é ser uma doença". Se não colocarmos o clã Bolsonaro em quarentena até o fim dos seus mandatos, eles vão deixar o Brasil como terra arrasada.
Alexis Sales de Paula e Souza (Brasília, DF)

Fazer a política do quanto pior melhor neste momento pelo qual estamos passando chega a ser desumano.
Daniel Dias Damasceno (Volta Redonda, RJ)

Em resposta ao senhor Roberto Fonseca de Mello (Painel do Leitor, 20/3), gostaria que ele demonstrasse de que modo a esquerda não está deixando o presidente Bolsonaro governar? A esquerda perdeu em todas as votações no Congresso e jamais representou nenhuma ameaça a esse desgoverno. Parece-me que o leitor tenta achar um culpado pela incompetência do presidente.
Edson Avilla (Taubaté, SP)


Eduardo
Injustificável a fala de Eduardo Bolsonaro, atribuindo aos chineses a responsabilidade pela pandemia do coronavírus. Pior ainda o incipiente pedido de desculpas de Ernesto Araújo. Felizes ficaram os sojicultores dos EUA, que tentam substituir o Brasil como principal exportador à China.
Gary Bon-Ali (Rio de Janeiro, RJ)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.