Leitores comentam editorial que equipara Bolsonaro a Dilma

Colunista Hélio Schwartsman recebe apoio de leitores

Editorial
É significativo que a Folha escreva com naturalidade que Dilma foi retirada do cargo devido à crise econômica, não por eventual crime ("Jair Rousseff", Opinião, 22/8). Na letra da lei, o processo de impeachment não abordava popularidade ou índices do mercado. Por outro lado, contra Bolsonaro abundam crimes explicitamente praticados e nada acontece. Plutocracia é o Cérbero que guarda a porta do poder.
Adilson Roberto Gonçalves (Campinas, SP)

Começo a me questionar por que ainda assino a Folha. Não bastasse a campanha contra os servidores públicos, vem agora essa "pérola" de editorial. A oposição a Bolsonaro, única coisa boa no jornal, na verdade é só sobre os métodos bolsonaristas. Fosse o governo mais limpinho, certamente o apoiaria.
Ronaldo Borin Silva (São Paulo, SP)

*

A grande diferença por enquanto é que Dilma tinha subordinados obedientes às suas ordens nos postos-chave. Jair tinha tinha três, com certa independência. Já tirou dois.
José Cardoso (Rio de Janeiro, RJ)

*

Bolsonaro apaixonado por estatais, corporações e gasto incontrolável. O PT já voltou! Bolsonaro é PT.
Francisco Henrique Dias (Campo Alegre de Lourdes, BA)

*

O editorial é a prova de que a imprensa não é capaz de autocrítica. Não vê que a crise fiscal no governo Dilma foi potencializada pelo espírito golpista alimentado por setores da imprensa, pelo golpismo de Aécio e pelo desmonte da economia feito pelo lava-jatismo para impedir a candidatura de Lula. Associar Dilma a Bolsonaro é muito pior.
Derlan Trombetta (Chapecó, SC)


Tô de mal
Maturidade de jardim da infância... Salles demitiu o coronel e deve ter ficado de mal com ele ("Ricardo Salles demite o coronel Homero Cerqueira, presidente do ICMBio", Ambiente, 21/8).
Rodrigo Negrão (São Paulo, SP)

Coronel Homero de Giorge Cerqueira (Foto: Divulgação/Polícia Ambiental)
Coronel Homero de Giorge Cerqueira - Divulgação/Polícia Ambiental

Racismo
Já estamos indo para o final de 2020 e o racismo continua a existir. As coisas que o rapaz falou ao entregador são absurdas. Além de receber a multa, deveria ter sido preso, pois seu ato é crime ("Por discriminação racial, governo de SP pode multar em R$ 27 mil homem que atacou entregador", Painel, 21/8).
Rayssa Rafaela Freire (Ponta Grossa, PR)

*

Uma multa de R$ 27 mil não fará o sujeito ser menos racista. Como ele disse "eu sou rico", dinheiro para ele não é problema. Dinheiro a menos no bolso pode só causar-lhe mais "raiva", fazendo com que ele seja cada dia mais racista. A multa não o tornará menos racista.
Tamires de Fátima Soares (Ponta Grossa, PR)


Steve Bannon
Sonho com o dia em que as instituições brasileiras funcionem como suas homólogas estrangeiras. Sonho com o dia da prisão da famiglia toda ("Responsáveis por prisão de Bannon podem gerar mais dor de cabeça a Trump antes da eleição", Mundo, 21/8).
Roque Jesus Alves (São Paulo, SP)

Steve Bannon ao sair da corte em Manhattan - Andrew Kelly/Reuters



Alguém sabe se os amigos do Bannon aqui no Brasil se pronunciaram a respeito da sua prisão?
Marina Gutierrez (Sertãozinho, SP)


Curso de Luciano Hang
A ficha do dono da Havan está queimada devido ao seu envolvimento com políticos. Melhor que ele fique na cama e deixe profissionais tocarem o negócio ("Na cama, Luciano Hang lança mentoria para empreendedores", Painel S.A., 21/8).
João Batista de Júnior (Mogi Mirim, SP)


Jornalista intimado
"Por texto sobre Bolsonaro, PF intima colunista da Folha a depor" (Poder, 22/8). E eu pergunto: por que a mesma PF não fez o mesmo quando Jair Bolsonaro desejou a morte de Dilma Rousseff? E por que não fez o mesmo em relação àqueles que estiveram na frente do hospital torcendo pela morte de Marisa Letícia?
Franz Josef Hildinger (Praia Grande, SP)

*

Pelo visto, o jornalista Elio Gaspari vai ter que lançar mais um livro, desta vez com o título "A Ditadura Disfarçada". Toda a nossa solidariedade a Hélio Schwartsman. Os brutos que hoje assolam o poder na nação não deterão nem a democracia, nem a liberdade de expressão, nem a primavera.
Pedro Valentim (Bauru, SP)

*

Por determinação do (des)governo federal, o jornalista Hélio Schwartsman foi intimado a depor na Polícia Federal. Mas digo ao colunista que poderia ser pior. Ele poderia ter sido elogiado por esse desgoverno. Toda força e apoio a Hélio, assim como fizemos com Chico Buarque de Holanda, que agradeceu a Bolsonaro por não ter assinado o prêmio literário internacional outorgado ao nosso músico e escritor.
Ademar G. Feiteiro (São Paulo, SP)

*

Proibir o desejo é uma das mais absurdas formas de opressão. O desejo brota do corpo e da alma, mas expressá-lo é bem diferente de realizá-lo. É um absurdo intimar qualquer pessoa por expressar (não necessariamente realizar) um desejo. Desejo é algo que invade todas as consciências, sejam realizáveis ou não, mesmo a mente de ministros.
Jorge Zacharias (São Paulo, SP)


Funcionalismo
A Câmara manteve o veto 17 de Bolsonaro, que impede o reajuste salarial por dois anos de professores, profissionais da saúde, agentes de segurança e assistentes sociais, entre outros servidores essenciais no atendimento à população. Deveriam priorizar a economia em áreas que recebem privilégios e vantagens exorbitantes. Lamentável!
Erivan Santana (Teixeira de Freitas, BA)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.