Leitores comentam embate entre Bolsonaro e Doria

Avaliação é que disputa entre presidente e governador de SP é pior para a população

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Bolsodória
Embate entre Doria e Bolsonaro vai além da vacina e atinge ao menos oito obras em São Paulo” (Poder, 15/2). Ou seja, o Bolsodória foi um engodo que enganou o eleitor paulista sem fazer muito esforço. Conclusão: todos perdem!
Laercio Alves Pugas (Itapecerica da Serra, SP)

São dois que só pensam em poder, nada mais. Deixam a população toda refém, com guerrinha particular. Parecem crianças. Já passou da hora de toda a população dar um basta nisto.
Rubens F. da Silva Ferreira (São Paulo, SP)

Com essa disputa entre governo federal e estadual, só quem perde é a população, porque fica privada de diversos meios mais modernos e esses dois indivíduos, que estão na reta final de mandato, deveriam olhar mais para o bem de todos, o que infelizmente não acontece.
Vanildo Cardoso (Jales, SP)


Embaixador chinês
A reportagem deixa claro que os embaixadores chineses também criam polêmicas em outros países (“China ignora pedidos de Bolsonaro por troca de embaixador no Brasil”, Mundo, 15/2). Ou seja, são agitadores. Está certo o Bolsonaro.
Antonio Ivair Arrais (Brasília, DF)

Um governo despreparado. As polícias não precisam de armas, precisam de salários, tecnologia, inteligência. O Brasil não precisa do Ernesto Araújo, mas precisa da China. Esse governo não entende de nada. Cadê as privatizações? O Brasil parou no tempo e no debate infantil de presidentinho e um mininistro despreparado.
Severino Gonçalves da Costa Júnior (Palmas, TO)


Clubhouse
Só haverá oásis se filtrar os participantes (“Clubhouse é o aplicativo do momento”, Ronaldo Lemos, 15/2). Mas espera para ver. MSN, Orkut, Facebook, WhatsApp começaram assim. Logo as hordas tomaram conta. Não há o que não corrompam.
Adonay Anthony Evans (Marília, SP)

Sinceramente. Tenho preferido “conversar” com flores e observar pássaros e outros animais.
Edilson Bezerra (Aracaju, SE)

Quem está errado?
Os punidos serão só os hackers? Ou Dallagnol, Moro e sua trupe? Importantíssimo saber (“Advogados fazem força-tarefa para categorizar diálogos hackeados da Lava Jato”, Painel, 15/2).
Josue Santana (São Paulo, SP)

O legado da Lava Jato vai ser a desmoralização da Justiça por esses pseudos promotores e juiz. Sob o pretexto de combater a corrupção a fortaleceram.
Fernando Artacho Carvalho Martins (São Paulo, SP)

Mais do que a farsa judicial, é a hipocrisia dos honestos de última hora.
Ricardo Melo (Itanhandu, MG)


Dívida global
Dívida global bate recorde, traz risco de crise e põe crescimento em xeque” (Mercado, 15/2). É a receita para fortalecer a ideia de austeridade, defender o teto de gasto aqui no Brasil e deixar os países desenvolvidos colocarem em prática o expansionismo para salvar o mundo e as migalhas para os pobres.
Reginaldo Borges (Campina Grande, PB)

A especulação sobre a injeção maciça de moeda na economia aponta para um período de inflação e estagnação que não deve ocorrer. Por outro lado, a austeridade fiscal funciona como sempre funcionou, produzindo miséria. Estranha é a unanimidade dos economistas no apoio ao governo.
Marcelo Magalhães (Rio de Janeiro, RJ)


Doleiros e delações
A procura de provas é coisa muito cansativa para os procuradores (“Quase metade dos réus em ação sobre doleiros se tornam delatores”, Poder, 15/2). Com seus salários de marajás e mordomias —diárias de luxo e passagens em primeira classe—, uma delação e uma convicção dão menos trabalho e, se for o caso, fazem um PowerPoint.
Felicio Almiro Lima Rodrigues (Porto Alegre, RS)

A vaidade é inimiga da verdade. A prisão de Dario Messer foi só espetáculo na TV. Ninguém viu a casa ser revirada, gavetas, sofás e colchões rasgados como na casa dos pobres. Ao ser preso, disse que entregaria todos em troca de três anos, pois era jovem e inteligente. Queria cumprir a pena e retomar sua vida. Acordo feito, poderosos blindados e o povo só preocupado com BBB, carnaval clandestino e fazer arminha.
Odete Borges (Itabira, MG)

Nova jurisprudência: roube, roube incansavelmente e, se fores pego (e todas as formas de suborno falharem), delate alguém, sempre um inimigo; e ganharás um benefício.
Ritavio Fagundes (São Paulo, SP)


Retrato
A fotografia do presidente Jair Bolsonaro e seu ministro da Educação, Milton Ribeiro, reproduzida pela Folha (Cotidiano, 15/2), com os dois fazendo o riso cadavérico da caveira-símbolo do Bope ao fundo, é a expressão perfeita da necropolítica adotada neste governo, sendo o ministro o seu executor na área da educação. Não sei que manual de pedagogia esses caras leem, mas passa longe de qualquer humanismo e da boa nova dos evangelistas.
Dorivaldo Salles de Oliveira (São Paulo, SP)


Variante do vírus
Estado de SP confirma 25 infectados pela variante de Manaus, sendo 16 autóctones” (Saúde, 15/2). Talvez queiram repetir o caos do Amazonas no Brasil. E os amazonenses que podem sair de lá estão indo para outros estados, isso vai piorar. Cansei. E nosso presidente e o Ministério da Saúde não se pronunciam. Quanta irresponsabilidade.
Adriana Aparecida Balduino Bomfim (São Paulo, SP)

Minha perplexidade não é em relação à gestão do Ministério da Saúde, mas sim da inércia de OAB, deputados e senadores, MP e Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. Cientistas brasileiros, médicos, enfermeiros e técnicos estão exaustos. O que reza a Constituição?
Maria Camila Machado Almeida (Porto Alegre, RS)

Manaus deveria ter sido isolada logo que detectado a variante, mas, como estamos sob o comando de um genocida, nada foi feito. Agora o estado deveria fazer o que não fez no início da pandemia: testagem dos contatos e isolamento dos infectados. Mas nada disso ocorrerá. Rumamos para o caos e o morticínio!
Jose Padilha Siqueira Neto (São Paulo, SP)

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.