Descrição de chapéu Legislativo Paulista

'Moleque capeta', youtuber chega à Assembleia de SP como político-celebridade

Arthur Moledo do Val (DEM), conhecido por seu canal 'Mamãe, Falei', foi o 2º mais bem votado de SP

Marcella Franco
São Paulo

​O gabinete que Arthur Moledo do Val, 32, escolheu para ocupar a partir de sua posse no próximo dia 15, na Assembleia Legislativa de São Paulo, fica na ala nova do prédio e, embora seja menor que os da parte antiga, conquistou o recém-eleito deputado estadual do DEM pelas instalações confortáveis e a vista privilegiada.

Até poder transferir seus pertences para a sala 3.106, no entanto, o segundo candidato mais bem votado de São Paulo seguirá trabalhando no lugar que o elevou ao posto de político-celebridade e que se tornou seu segundo sobrenome: o canal “Mamãe, Falei”, no YouTube.

Enquanto nas urnas Arthur do Val obteve 478.280 votos, na plataforma online são mais de 2,5 milhões de inscritos que acompanham os vídeos de periodicidade variada.

Sua produção menos popular tem 61 mil visualizações —o registro de uma entrevista com o deputado federal Alexis Fonteyne (Novo). A de maior sucesso foi vista por mais de 4 milhões de pessoas e mostra Arthur em uma manifestação petista a favor da absolvição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. ​

Retrato de homem moreno com barba vestido de terno
O deputado estadual Arthur Moledo do Val (DEM), mais conhecido como Arthur Mamãe Falei, na Assembleia de SP - Bruno Santos/Folhapress - Produção Daniela Ribeiro

Sua obra tem uma assinatura peculiar. Nos envios mais famosos, Mamãe Falei é roteirista, câmera e ator principal. Figura no quadro olhando firme para o foco da lente, enquanto aborda pessoas aleatórias a quem entrevista de maneira frenética –e, por vezes, ardilosa. “O que é ser fascista?”, interpela um. “Por que eu não posso entrar aqui, se este é um ato a favor da democracia?”, indaga outro.

Quase sempre a reação dos coadjuvantes é justamente aquela que o diretor deseja: constrangimento, irritação e, nos casos mais extremos, agressão verbal e física.

“Não posso ser falso e dizer que não tenho a intenção de rir da cara daquelas pessoas quando, na verdade, eu tenho”, admite. “Falo de peito aberto que a minha intenção é expor as pessoas que pensam diferente de mim ao ridículo porque isso é uma forma de questionamento. E quero que façam o mesmo comigo."

Para o colega de MBL (Movimento Brasil Livre) Kim Kataguiri, 23, o método Mamãe Falei de fazer política é tão refinado que evoca um dos pilares da filosofia grega. “É descontraído, irônico, sarcástico, provocativo. E, de certa maneira, até remonta a Sócrates, na medida em que ele vai fazendo perguntas para os seus interlocutores até que eles mesmos cheguem à conclusão.”

​A definição do vice-presidente do PDT Ciro Gomes, no entanto, passa um pouco longe do estudo da natureza da existência humana. “Você é um bobão”, declarou o então candidato à Presidência, em um vídeo postado em abril de 2018.

Naquela entrevista, Ciro desmente duas declarações que dera anteriormente, e, irritado, desfere um tapa na nuca de Mamãe Falei. “Você acha que eu sou a Patricia Pillar para você bater, rapaz?”, devolve o deputado.

A grande maioria dos vídeos que Mamãe Falei grava são caseiros e produzidos com o celular –“90% do total”, estima. Quando vai para as ruas, ele troca o equipamento por uma Sony NEX-F3, para facilitar a logística de filmar a si mesmo. “É uma câmera que custa R$ 600 usada no Mercado Livre. É excelente, tem zoom automático, vira a tela e é barata. Já comprei cinco vezes esse mesmo modelo. Uma roubaram, e as outras, as pessoas quebraram."

Nas abordagens, diz ser comum tentarem tomar a sua máquina. "Todas as vezes tentaram." Quase sempre é este o ápice de uma escalada que se inicia com uma pergunta à qual o entrevistado não sabe responder, seguida de uma ofensa e da proibição de filmar ou de entrar em algum recinto. “A pessoa fala que vai chamar advogado e, por último, quando vê que nada disso deu efeito, vem para cima mesmo."

Mamãe Falei diz nunca ter perdido a calma. “Tenho um autocontrole absurdo das minhas ações.”

Ainda assim, o atual número de processos do qual é réu é maior do que aqueles em que decidiu acionar a Justiça. “Não posso falar o número, mas posso falar que são muitos e que eu respondo a mais de R$ 1 milhão em processos. Não perdi nenhum, ganhei todos até agora."

Ciro Gomes não figura nesta lista. “Não tenho relação nenhuma com ele. A única providência que tomei foi colocar o vídeo no ar e desmoralizá-lo em frente ao Brasil inteiro. Aquilo é justamente o meu objetivo. Ele não me procurou, fugiu de mim. Sorte dele que não nos encontramos de novo, porque não vejo a hora de isso acontecer. Eu te garanto que meu vídeo vai ter o dobro de views."

O primeiro vídeo do canal Mamãe Falei, de junho de 2015, questionava o currículo das escolas. “Acho um absurdo a gente ter uma grade tão técnica e não ensinar coisas básicas da vida cotidiana. Hoje, um aluno do terceiro colegial vai prestar um vestibular e sabe o que é uma mitocôndria, e, na hora de votar, não sabe a diferença entre um deputado e um senador. Nós não aprendemos política."

Ele, aliás, que cursou engenharia química até o décimo semestre, diz que aprendeu política “100% na prática”.

“Não tinha a menor ideia do que era liberalismo econômico, nunca tinha ouvido falar de [Milton] Friedman, de [Ludwig von] Mises nem de Adam Smith, mas já estava de saco cheio das coisas que me atrapalhavam na prática. Você não precisa ser um grande político para entender que, quando um cara de gravata chega na TV e fala que o FGTS é um direito do trabalhador, ele está mentindo. Não é um direito, é um imposto."

Entre as suas pautas para o início do mandato na Assembleia, estão a austeridade fiscal e “nenhuma criação de nova taxa ou novo imposto”. “Não adianta a gente falar dos outros e não dar o exemplo. Por isso, vou abrir mão do meu carro oficial, do meu motorista, do auxílio-moradia e da verba para gabinete externo. Vou contratar menos da metade dos assessores que poderia. Minha meta é cortar pela metade a verba do meu gabinete."

Mamãe Falei promete, ainda, viabilizar pautas de fortalecimento da PM, especialmente no combate ao crime organizado. Quer, ainda, colaborar com o desenho que envolveria âmbitos federal e estadual de privatização da USP.

“É dar a USP para um milionário administrar? Não. É privilegiar o cara que não teve condição de pagar um cursinho ao invés do cara que estudou a vida inteira em escola particular. Não pode ter alguém financiando ele. Aquele cara que entra de BMW no campus não vai mais ter professor à disposição enquanto ele fica fumando maconha."

Retrato feito na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) do Deputado Estadual Arthur Moledo do Val (DEM), mais conhecido como Arthur Mamãe Falei
Retrato feito na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) do Deputado Estadual Arthur Moledo do Val (DEM), mais conhecido como Arthur Mamãe Falei - Bruno Santos/Folhapress - Produção Daniela Ribeiro

Sucata

Paulistano, Arthur Moledo do Val é o mais velho de três filhos homens do casal Manoel e Elza. Em 2013, saiu de casa e foi morar sozinho “em um loft”, deixando os pais no mesmo endereço de toda a vida.

Até hoje, Manoel toca a empresa de sucata de aço da família, aberta na época em que Arthur nasceu e onde o hoje deputado trabalhou antes de se tornar youtuber. “É uma história bem bonita. Ele foi mandado embora, comprou um caminhão e foi comprar sucata. Tenho orgulho de dizer que me pai tem o mesmo CNPJ até hoje."

O pequeno Mamãe Falei foi “um moleque capeta” –ainda assim, assegura que sempre se absteve dos conflitos.

“Nunca arrumei briga na balada, evito a questão física. Eu gosto de violência. Gosto de luta, de esportes radicais, não me importo em me machucar, só que eu não sou um homem violento. Sempre fui da turma do ‘deixa disso’”.

Bullying, diz ele, também não era sua praia, embora considere “extremamente ridículo” o manual do politicamente correto.

“O pessoal fala que não se pode brincar com tal grupo, sejam homossexuais, sejam negros. Eu acho que tem que brincar com todo mundo. Quando você exclui um grupo está falando que ele é menos humano, e que não pode brincar porque ele é inferior. Agora, nem toda brincadeira vai ter graça. Se eu chegar para um cadeirante e fizer uma brincadeira sem graça, vou pagar de babaca."

Solteiro, Mamãe Falei reparte a agenda entre o trabalho e as práticas de jiu jitsu, motocross e snowboard.

Colega de partido e de MBL, o vereador Fernando Holiday, 23, conta que é comum aos membros do movimento marcar programas em conjunto. “Só que ele não bebe, não é de ir a barzinho, balada. Os lugares que ele vai são diferentes, tipo clube de tiro. Uns rolês mais alternativos.”

Equipado com camisa social azul, calça jeans, tênis esportivo e meias brancas no dia em que falou à Folha, o deputado diz não gostar de gastar dinheiro com roupas, e que, em seu armário, guarda apenas dois ternos –um deles separado inédito para a posse na Assembleia, no próximo dia 15. “Eu não me visto assim, hoje estou fora do meu padrão”, afirma, apressado.

Quando questionado se sabe quem foram os quase 500 mil cidadãos que o colocaram ali, de paletó e gravata no gabinete 3.106, Mamãe Falei afirma que os “propagadores de sua mensagem” têm de 14 a 70 anos.

“Meus números do YouTube são diferentes do Facebook e do Instagram. Nem as métricas das minhas redes sociais são condizentes umas com as outras. Então é muito difícil te dizer qual é o perfil do eleitor do Arthur. Eu acho que é todo mundo."


Perfil
Arthur Mamãe Falei

Idade 32 anos

Nascimento São Paulo (SP)

Partido DEM (coligação PSDB/PSD/DEM/PP/PRB)

Gênero Masculino

Estado civil Solteiro

Cor/raça Branca

Grau de instrução Superior incompleto

Ocupação Comerciante

Reeleição Não

Descrição dos bens declarados do parlamentar Apartamento, depósito bancário em conta corrente no país e outras participações societárias

Valor declarado dos bens R$ 550.224

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.