Governo gastou R$ 201 mil para Bolsonaro ver jogos na Copa América

Presidente esteve no estádio em três partidas do Brasil durante o torneio

Luís Adorno
São Paulo | UOL

presidente Jair Bolsonaro (PSL) gastou R$ 201,6 mil para assistir, no estádio, três partidas da seleção brasileira durante a Copa América realizada no país entre junho e julho deste ano.

Os dados são da Secretaria Especial de Comunicação Social da Secretaria de Governo da Presidência da República e foram obtidos com exclusividade pelo UOL via LAI (Lei de Acesso à Informação), Bolsonaro assistiu ao jogo de abertura, em São Paulo, a semifinal, em Minas Gerais, e a final, no Rio de Janeiro. Um gasto de R$ 67,2 mil em média, por jogo.

A reportagem perguntou à Casa Civil e às secretarias Geral, de Governo e de Comunicação da Presidência se o montante gasto para o presidente acompanhar a seleção brasileira nas três partidas foi bem investido. Foram enviados quatro e-mails, entre quinta (15) e sexta-feira (16), mas, até esta publicação, os órgãos não se manifestaram sobre o assunto.

Jair Bolsonaro (PSL) durante partida da Copa América entre Brasil e Argentina, no estádio do Mineirão
Jair Bolsonaro (PSL) durante partida da Copa América entre Brasil e Argentina, no estádio do Mineirão - Mauro Pimentel - 2.jul.2019/AFP

As despesas contemplaram gastos com a equipe de segurança, saúde, transporte, cerimonial, imprensa, comunicações e apoio técnico necessário ao presidente, segundo a secretaria. O presidente participou das cerimônias de abertura e de premiação, no primeiro e no último jogo da competição, e acompanhou a semifinal das tribunas.

No primeiro jogo, o Brasil venceu a Bolívia no estádio do Morumbi por 3 a 0. Na semifinal, no Mineirão, a seleção brasileira venceu a argentina por 2 a 0. E na final, no Maracanã, o Brasil venceu o Peru por 3 a 1.

Nas vezes em que foi mencionado ou apareceu, Bolsonaro foi recebido com vaias e aplausos. Na semifinal, contra a Argentina, Bolsonaro afirmou que as vaias foram direcionadas aos hermanos, não a ele. Na ocasião, a federação de futebol da Argentina formalizou uma crítica à presença de Bolsonaro no estádio.

Questionado sobre o fato, Thiago Jannuzzi, gerente de competições do Comitê Organizador Local da Copa América, afirmou considerar a presença como normal. "Sobre a presença do presidente, eles vão ao campo, isso é normal. No pré-jogo ou no intervalo, isso é normal."

Não é uma exclusividade do presidente Bolsonaro, no entanto, ir a jogos da seleção em campeonatos realizados em território nacional. Durante a Copa do Mundo de 2014, por exemplo, a ex-presidente Dilma Rousseff também acompanhou partidas. Na estreia do Mundial, ela foi vaiada quatro vezes pela torcida.

Veja, abaixo, os gastos do presidente, jogo a jogo

Brasil x Bolívia, em 14 de junho

  • Alimentação: R$ 12.900
  • Hospedagem: R$ 42.654
  • Diárias: R$ 42.693,88

Brasil x Argentina, em 2 de julho

  • Alimentação: R$ 5.472
  • Hospedagem: R$ 8.137,50
  • Diárias: R$ 23.761,74


Brasil x Peru, em 7 de julho

  • Alimentação: R$ 19.980
  • Hospedagem: R$ 17.412,96
  • Diárias: R$ 28.672,35 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.