Acreditar na melhora da economia é não querer ver o óbvio, diz leitor

Datafolha mostra que índices de otimismo batem recorde com Bolsonaro

Otimismo
Os índices favoráveis ao futuro da economia demonstram antes de mais nada que o brasileiro é um sujeito otimista ("Otimismo com economia dispara, diz Datafolha"). Porque acreditar na melhora, diante das prévias ocorridas nas ultimas semanas, é não querer ver o óbvio.

Arlindo Carneiro Neto (São Paulo, SP)

 

Em determinadas situações, só é otimista um pessimista mal informado, mas nesse caso a economia afundou em tal nível que ambos concordam entre si.

Nilton Nazar (São Paulo, SP)


Michel Temer

Sobre "Ao deixar Presidência, Temer vai morar em SP, escrever livros e retomar a advocacia", pode até ser, mas vai fazer tudo isso instalado em uma cela da Papuda. Provas não faltam para trancafiar Temer pelo resto da vida. Aliás, ele só está solto porque, definitivamente, não vivemos em um país sério.

Vicente Alfredo de Paula Rodrigues (Brasília, DF)

 

O presidente Michel Temer pegou o país destruído pelas políticas inconsequentes da sra. Dilma Rousseff, conseguiu aprovar medidas importantes como a reforma trabalhista e as novas regras de compliance nas empresas públicas, chegou ao fim do mandato e sai como o presidente mais impopular da história, apesar de não merecer.

Claudia Roveri (Blumenau, SC)

 

Os dois principais responsáveis pelo fato de o governo Temer não ter tido mais sucesso na economia, que puxaria melhor evolução em todas as áreas, são Rodrigo Janot e Rodrigo Maia. Então procurador-geral da República, Janot, com suas acusações açodadas e vazias, obrigou Temer a gastar seu cacife político e parlamentar na própria defesa. Alçado à presidência da Câmara com o apoio de Temer, Maia traiu vergonhosamente seu patrocinador ao impedir que importantes reformas entrassem na pauta daquela casa legislativa.

Osvaldo Cesar Tavares (São Paulo, SP)


Governo Bolsonaro

O constrangimento que passamos com a declaração certeira do embaixador da França ("Embaixador francês ironiza fala de Bolsonaro sobre imigrantes") me parece um simples aperitivo do que passará a acontecer a partir de 1º de janeiro. Ou Bolsonaro aprende que governar é diferente de enunciar bobagens para o aplauso fácil das ignorantes redes sociais ou passaremos vergonha mesmo.

Leandro Veiga Dainesi (Lorena, SP)

 

O governo brasileiro parece um ônibus em que, a cada eleição, embarca uma multidão e poucos descem. Daí a crescente despesa corroendo a receita e pouco sobrar para investir ou remediar as precárias obrigações básicas. Bolsonaro é a esperança de reversão dessa calamitosa situação.

Humberto Schuwartz Soares (Vila Velha, ES)


João de Deus

Ilustração de tendências e debates do dia 23.dez.2018
Ilustração de tendências e debates do dia 23.dez.2018 - Folhapress

A seção Tendências / Debates busca estimular o debate dos problemas e espelhar as correntes do pensamento. É um espaço nobre da Folha que foi desperdiçado com advogados de várias personalidades suspeitas para tentar relativizar o comportamento de João de Deus ("João de Deus: entre o linchamento e o julgamento"). Será que não temos no Brasil que está renascendo pautas mais relevantes de conteúdo social?

Wilson Campos Mello (São Paulo, SP)


Drauzio Varella

Muito lúcido e oportuno o artigo do dr. Drauzio Varella ("Charlatães"). Acrescento o charlatanismo exercido por médicos diplomados por meio do engodo da pseudociência.

Marcello D. Bronstein, professor da Faculdade de Medicina da USP (São Paulo, SP)

 

 

Drauzio Varella pode não acreditar em milagres, mas o fato de haver charlatões no mundo não lhe confere autoridade para afirmar que milagres não existem. Da mesma forma que a cadeira de Isaac Newton em Cambridge não dava ao cientista Stephen Hawking o direito de afirmar que Deus não existe.

Paulo Abreu (Brasília, DF)

 

O corajoso Drauzio Varella coloca essa palhaçada no seu devido lugar. Como médico com a mão na massa, ele sabe muito bem que essas curas são fantasia alimentada pelos bandidos travestidos de magos. O pior é que são ajudados por pilantras como a americana Oprah que fazem tudo para faturar.

Octavio Henrique Pavan (Campinas, SP)

 

Bom médico, nada mais do que isso, mas não esperaria opinião diferente vindo de um ateu. Na primeira turbulência num avião, ele muda de opinião e pede um Deus que o ajude. Duvidar do poder da fé alheia é tão medíocre quanto acreditar nesse texto.

Waldir Gamba (São Paulo, SP)

 

É um alívio na alma ler dr. Drauzio. Um suspiro de lucidez e saber.

Maria Ines Polotto (São José do Rio Preto, SP)


Colunistas

Antonio Prata fez um poema entre a tecnologia e a beleza natural no qual todos somos coadjuvantes ("iLua"). A ciência realmente acabou com o encanto da Lua, onde São Jorge e seu cavalo eram o imaginário que nos rodeava quando crianças. Mas ainda temos esse menino, que nos envolve com suas crônicas maravilhosas.

Terezinha Dias Rocha (São Paulo, SP)

Ilustração Antonio Prata
Ilustração Antonio Prata - Adams Carvalho

*

Em "Plantando dúvidas", Hélio Schwartsman novamente se torna um vendedor de livros. Como de costume, ele exerce sua especialidade, a provocação. A época natalina é a mais alegre e festejada do ano, quando aflora a religiosidade, alimentada por sentimentos positivos e ele vem nos querer vender uma enciclopédia do ateísmo. Gosto do Hélio cronista, dispenso o Hélio livreiro.

João Henrique Rieder (São Paulo, SP)


Futebol

Parabéns ao Real Madrid pela conquista ("Modric volta a marcar após 184 dias e Real conquista o Mundial de Clubes"). Domínio do Real, da Espanha e da Europa no cenário mundial nos últimos anos. Infelizmente, o decadente futebol sul-americano ficou para trás.

Renato Khair (São Paulo, SP)


Boas-festas

A Folha agradece e retribui os votos de boas festas recebidos de Natura, José Carlos Evangelista, presidente da Associação dos Médicos do Hospital Israelita Albert Einstein, Consulado Geral da República Federal da Alemanha em São Paulo, Agência Mural de Jornalismo das Periferias, Bottini e Tamasauskas Sociedade de Advogados, Museu de Arte Sacra de São Paulo, Rodrigues Barbosa, Mac Dowell de Figueiredo, Gasparian Advogados, Carlos Vogt (Campinas, SP) e Jornalzen.


PARTICIPAÇÃO

Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.