'Indícios desnudam herói engomado num justiceiro empoeirado', afirma leitor

Mensagens mostram que Lava Jato articulou apoio a Sergio Moro diante de tensão com STF

Mensagens
A crescente lama, que a cada dia se aproxima do pescoço, dá campo para todos aqueles que insistiam que algo estava errado ("Lava Jato articulou apoio a Moro diante de tensão com STF, mostram mensagens"). Os indícios parecem desnudar o herói engomado num justiceiro empoeirado.

Luís Costa Jr. (Morretes, PR)

A manchete "Lava Jato articulou apoio a Moro em momento crítico" é precipitada. Não seria melhor, em nome da imparcialidade e da verdade, aguardar a perícia das mensagens?

Luiz Henrique Soares Novaes (Santos, SP)

Mais um tijolo no muro da vergonha que se ergue ao redor do senhor Sergio Moro. Não vai demorar para que a condenação de Lula seja rechaçada por toda a comunidade internacional. Mais uma vez seremos chacota perante o mundo.

Alex Fabiano Nogueira (São Paulo, SP)

A publicação de detalhes do affaire Moro-Dallagnol, obtidos por método criminoso, nada de grave revelou. Ao contrário, demonstrou cuidado na investigação de crimes que corroíam o Brasil nas entranhas.

Antonio Carlos Gomes da Silva (São Paulo, SP)

Sem dúvida, Moro foi competente e a Lava Jato foi importante no combate à corrupção, mas alguns métodos usados contrariam o devido processo legal. Os fins nunca justificam os meios. Quem age ilegalmente deve ser responsabilizado.

Dirceu Almeida Vieira (Caxias do Sul, RS)

Mais uma vez a Folha mostra seu compromisso com o leitor e seu republicano direito à informação ("Série de reportagens explora mensagens obtidas por site"). A liberdade de imprensa e o direito do cidadão à informação são pilares da democracia.
Darcio de Souza (São Paulo, SP)

É um absurdo a Folha, que é o melhor jornal do Brasil, fazer reportagens sobre as divulgações do Intercept Brasil. Essa empresa deveria ser processada e condenada pela divulgação de mensagens obtidas de forma ilegal nos celulares.
Marcos Leite de Souza (Carapicuiba, SP)


Jair Bolsonaro

Bolsonaro insiste em propagar seu poder de macho potente. Um governo que quebrou a liturgia do cargo com seus atos e falas medíocres, simplistas, infantis e obscurantistas. Como bem disse Antonio Prata, o país inteiro assiste à sua broxada ("Bolsonaro e as flexões de pescoço") .

Anete Araujo Guedes (Belo Horizonte, MG)

Ilustração Adams Carvalho para coluna de Antonio Prata 2306
Adams Carvalho

Antonio Prata não tem mais sobre o que escrever? Não dá mais para ler essas futilidades já cedo na Folha.

Ângelo Galdi (Piracicaba, SP)

Muito interessante o artigo de Marta Suplicy ("É a credibilidade"), que fala mal de Bolsonaro. Ainda mais quando diz que ele é "doente" e sexualiza as declarações. Esqueceu-se certamente de que a única coisa de que os brasileiros se recordam de sua passagem pelo Ministério do Turismo é sua fala "relaxa e goza".

Alexandra Brandao S. Moreira (São Paulo, SP)


Parada LGBT

Esse é o verdadeiro povo brasileiro: bonito e alegre por natureza ("23ª Parada do Orgulho LGBT reúne milhares em São Paulo"). Sejam felizes mesmo. Infeliz aquele que nega sua própria condição sexual.

Fabio Dantas (Criciúma, SC)

LGBTs não conseguem se projetar pela competência? É preciso se vitimizar e querer aparecer o tempo todo? Discriminação, intolerância e violência existem em todos os setores. Não há lugar para "especiais" que se julgam com mais direitos e privilégios do que os demais.

Tersio Gorrasi (São Paulo, SP)


Liberdade de imprensa

Discordo frontalmente do sr. Fernando Haddad quando ele diz que "não há nada mais uniforme no Brasil do que a linha editorial dos jornais" ("Liberdade de imprensa"). Ele quer nivelar por baixo o jornalismo brasileiro? Além disso, qualquer notícia vinda de um jornalista como o sr. Greenwald, que flagrantemente se nega a informar sua fonte (por se tratar de material de origem escusa) e que não pode, portanto, ter sua veracidade confirmada, deve ser imediatamente jogada no lixo.

Luis Baibich (Curitiba, PR)

Um dos pilares da ética é a pluralidade, que está ausente em vários setores da nossa sociedade. A imprensa tradicional sempre foi a voz das elites dominantes. A internet pariu as mídias alternativas e uma crise na imprensa elitista, que se vê atacada por todos os lados. As lambanças em que se mete a imprensa elitista ao defender e promover seus interesses mesquinhos só fazem aprofundar a crise.

Said Abou Ghaouche Netto (São Paulo, SP)

Interessante o sr. Fernando Haddad escrever a favor do Intercept Brasil e de Glenn Greenwald, mas não ter dito nada favor do jornalista Larry Rohter em 2004, quando o então presidente Lula foi chamado de beberrão e ameaçou o jornalista americano de expulsão.

Mário Benoni Castanheira de Souza (Brasília, DF)


Lula

Em resposta a Carlos de Souza (Painel do Leitor), se Lula está preso porque existe lei, Temer, Aécio, Moreira Franco, Eliseu Padilha, Eunício de Oliveira, entre outros, estão soltos porque a lei só existe para alguns, especialmente se for alguém com grande chance de vencer uma eleição presidencial.

Rogério Failace (Florianópolis, SC)


Moradores de rua

A reportagem "Em 2 anos, SP vê salto de 66% de pessoas abordadas na rua" (Cotidiano, 22/6) mostra com dados o agravamento da realidade da população em situação de rua e a necessidade urgente de políticas públicas intersetoriais de inclusão social e da realização do Censo de 2019.

Darcy da Silva Costa, coordenador nacional, e Edvaldo Gonçalves de Souza, coordenador estadual SP do Movimento Nacional de População de Rua (MNPR)


PARTICIPAÇÃO

Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.​

 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.