Entenda a originalidade da obra de Lélia Gonzalez, expoente do feminismo negro

Em podcast, Flavia Rios fala sobre a atualidade das ideias da intelectual e militante, morta em 1994

O episódio desta semana do Ilustríssima Conversa, podcast da Folha em parceria com o Itaú Cultural, discute o pensamento e a obra de Lélia Gonzalez (1935-1994), uma das mais importantes intelectuais negras brasileiras.

O repórter Eduardo Sombini recebe Flavia Rios, professora de sociologia da UFF (Universidade Federal Fluminense) e coorganizadora, com a professora da USP Márcia Lima, da coletânea “Por um Feminismo Afro-latino-americano”, publicada em outubro pela Zahar.

O livro reúne, pela primeira vez, a maior parte da vasta produção de Lélia Gonzalez. Os ensaios acadêmicos, os discursos em eventos e as entrevistas que a obra apresenta revelam uma pensadora comprometida em analisar a condição marginalizada da mulher negra no Brasil e em criticar os mecanismos que reproduzem o racismo, o machismo e todo tipo de desigualdade e violência.

Intelectual engajada, Lélia Gonzalez denunciou o mito da democracia racial, que considerava um entrave à superação do racismo e à democratização do Brasil, e participou da fundação do MNU (Movimento Negro Unificado) durante a ditadura militar.

Retrato de Flavia Rios
Retrato de Flavia Rios, coorganizadora de 'Por um Feminismo Afro-latino-americano' - Acervo pessoal

Na conversa, Rios discutiu os principais marcos da vida de Lélia Gonzalez, as interpretações da autora sobre a formação da cultura brasileira, que recorriam à psicanálise e sublinhavam a importância do universo simbólico africano, e o legado do pensamento de Gonzalez ao feminismo negro e às lutas antirracistas no Brasil e na América Latina.

O Ilustríssima Conversa está disponível nos principais aplicativos, como Apple Podcasts, Spotify e Stitcher. Ouvintes podem assinar gratuitamente o podcast nos aplicativos para receber notificações de novos episódios.

O podcast entrevista, a cada duas semanas, autores de livros de não ficção e intelectuais para discutir suas obras e seus temas de pesquisa.

Já participaram do Ilustríssima Conversa Karla Monteiro, biógrafa do jornalista Samuel Wainer, Vinicius Torres Freire​, que tratou de medidas econômicas durante a crise do coronavírus, Muryatan Barbosa, pesquisador da história do pensamento africano; Júlio Delmanto, que discutiu os primeiros usos do LSD e a repressão à substância; Elena Brugioni, que tratou de literaturas africanas e descolonização do imaginário; Marta Arretche, que debateu as desigualdades e as políticas sociais no Brasil; Sérgio Augusto, que discutiu os rumos do cinema em meio à pandemia de coronavírus; Sidney Chalhoub, que lembrou a politização de epidemias ao longo da história; e Gilberto Nascimento, que abordou o crescimento da Igreja Universal e a ascensão política de Edir Macedo, entre outros.

A lista completa de episódios está disponível no índice do podcast. O feed RSS é https://folha.libsyn.com/rss.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.