Irã anuncia captura de terceiro navio no Golfo Pérsico em menos de um mês

Tensão na região cresce e ameaça transporte de petróleo no Oriente Médio

Teerã e Dubai | AFP e Reuters

O Irã anunciou neste domingo (4) que interceptou um navio estrangeiro no Golfo, a terceira embarcação capturada pelo país em menos de um mês nesta região. 

Sete integrantes da tripulação do navio foram detidos, relatou neste domingo a imprensa estatal, em uma demonstração de poder do Irã em meio a uma crescente tensão com o Ocidente.

Imagem divulgada por TV estatal iraniana mostra navio que teria sido apreendido - Press TV via Reuters

O navio foi interceptado perto da ilha Farsi, do Irã, no Golfo, na quarta-feira (31) disse a agência de notícias semi-oficial Fars. Segundo a agência oficial IRNA, o petroleiro apreendido tem bandeira iraquiana.

A guarda revolucionária de elite (IRGC) tem uma base naval na ilha, localizada ao norte do Estreito de Hormuz.

"As forças navais do IRGC apreenderam um petroleiro estrangeiro no Golfo Pérsico que estava transportando combustível contrabandeado para alguns países árabes", disse o comandante da guarda, Ramezan Zirahi, à TV estatal.

O navio transportava 700 mil litros de combustível e foi levado para o porto de Bushehr, onde sua carga foi entregue às autoridades.O  petroleiro seguia com destino aos países árabes do Golfo, segundo Zirahi, 

Este é a terceira embarcação interceptada pelo Irã desde julho no Golfo. Um terço do petróleo que transita por via marítima no mundo passa pelo Estreito de Hormuz, localizado nesta região. 

Em 14 de julho, o Irã capturou um petroleiro de bandeira panamenha, o MT Riah, acusado de contrabando de combustível.

Cinco dias depois, um petroleiro sueco de bandeira britânica, Stena Impero, foi interceptado pela acusação de não respeitar o código marítimo internacional. 

A captura do Stena Impero aconteceu 15 dias depois da interceptação pelas autoridades britânicas do petroleiro iraniano Grace 1 na costa de Gibraltar. 

Londres afirmou que o Grace 1 foi barrado por violar as sanções da União Europeia ao seguir rumo à Síria, país em guerra, com uma carga de petróleo, o que Teerã nega. 

O Reino Unido determinou que a Marinha escolte os navios civis com bandeira britânica que navegam pelo Estreito de Hormuz. 

O governo dos Estados Unidos deseja estabelecer uma coalizão internacional no Golfo para proteger os navios mercantes. A ideia é que cada país escolte militarmente suas embarcações com o apoio do Exército americano. 

Mas os europeus relutam ante a proposta, para evitar uma associação com a política de máxima pressão sobre o Irã defendida pelo presidente americano, Donald Trump

Os países europeus querem preservar o acordo sobre o programa nuclear iraniano alcançado em 2015.

O caso deste domingo pode aprofundar ainda mais a tensão, que cresce desde que Washington decidiu abandonar o acordo sobre o programa nuclear iraniano em maio de 2018, o que significou o retorno das sanções americanas a Teerã e levou o país a perder quase todos os compradores de petróleo.

As sanções asfixiaram a economia do Irã, que tem a quarta maior reserva mundial de petróleo e a segunda de gás. 

Além disso, os atos de sabotagem de maio e junho contra petroleiros no Golfo, que Washington atribuiu a Teerã (e que o Irã negou ter cometido), e a destruição de um drone americano contribuíram para aumentar a crise.

Apesar do noticiário, o general iraniano Ahmad Reza Purdastan afirmou neste domingo que os riscos de um conflito no Golfo diminuíram.

"À primeira vista pode parecer que a situação no Golfo Pérsico segue para um conflito militar, mas se você observar mais de perto verá que a probabilidade de tal conflito é cada vez menos elevada", declarou o general.

Ao mesmo tempo, ele destacou que o "Golfo Pérsico é como um barril de pólvora e a primeira explosão pode levar a um grande desastre". 

ENTENDA O HISTÓRICO DE ATAQUES

12.mai
Emirados Árabes Unidos afirmam que que quatro navios foram atacados nas proximidades de Fujairah (um dos sete emirados que formam o país)

13.mai
Arábia Saudita afirma que teve dois navios sabotados no Golfo Pérsico

13.jun
Dois petroleiros, um norueguês e outro japonês, são atingidos por explosões no Golfo de Omã; EUA afirmam que minas marítimas foram usadas, divulgam suposto vídeo do ataque e responsabilizam o Irã, que nega

14.jun
Presidente da companhia dona do navio japonês contraria os EUA e afirma que embarcação foi atingida por objetos voadores

Grupo rebelde houthi, que é apoiado pelo Irã, realiza uma série de ataques com drones a aeroporto de Abha, na Arábia Saudita (reino é aliado dos Estados Unidos)

17.jun
Exército dos EUA divulga fotos que supostamente mostram membros da Guarda Revolucionária do Irã removendo uma mina de um petroleiro que sofreu ataque

20.jun
Irã derruba drone americano que estaria violando seu espaço aéreo às margens do golfo de Omã

23.jun
Trump desiste de ação militar contra o Irã na última hora; EUA realizam ataque ciberataque que desabilitou sistemas no lançamentos de mísseis e foguetes

4.jul
A pedido dos EUA, britânicos apreendem petroleiro iraniano no estreito de Gibraltar; navio estaria violando as sanções da ONU

11.jul 
Reino Unido afirma que Irã tentou bloquear petroleiro britânico no estreito de Hormuz, mas que sua Marinha interveio e a passagem foi liberada

18.jul 
Irã afirma que apreendeu no estreito de Hormuz, no domingo (14), um petroleiro estrangeiro com 12 tripulantes a bordo; navio estaria contrabandeando combustível para o Golfo

18.jul
Trump afirma que EUA derrubaram drone iraniano no estreito de Hormuz por voar perto demais de uma embarcação americana

19.jul 
Britânicos condenam apreensão de dois petroleiros pelo Irã, um de bandeira britânica e outro de bandeira liberiana, mas operado por empresas do Reino Unido; Teerã afirma que apenas o navio britânico foi apreendido

4.ago
Irã anuncia ter capturado um navio iraquiano, que acusa de contrabando de petróleo

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.