Pizzaria-Geral da República é o novo nome da PGR, diz leitor

Esse pessoal não têm nada mais produtivo para fazer,? pergunta leitror sobre apoiadores de Bolsonaro

Pizzaria-Geral
A senha para o arquivamento está cristalizada ("Aras pede harmonia entre Poderes para evitar o 'caos' e recebe visita surpresa de Bolsonaro", Poder, 25/5). Pizzaria-Geral da República é a nova nomenclatura da Procuradoria-Geral da República, cuja especialidade agora é a vera pizza à moda Aras. A senha do arquivamento também é passaporte para o Supremo, caso o Messias modifique sua disposição de introduzir um membro da sua irmandade na corte suprema.
Alberto A. Neto (Fortaleza, CE)

Faça seu trabalho, procurador. Até quando vamos conviver com os arroubos desse projeto de presidente? Ele testa as outras instâncias da República a fim de buscar uma ruptura e externar sua veia ditatorial. Façam seu trabalho, senhores procuradores. O povo brasileiro não merece um fascistoide no poder.
Celso Luis Kolakowski (Brasília, DF)


Balcão de negócios
Bolsonaro passou a vida inteira ao lado do centrão. Apenas se afastou para ganhar a eleição. Falso moralismo da pior espécie. Parabéns pela reportagem que desnuda esse balcão de negócios ("Indicados pelo centrão e nomeados por Bolsonaro já ocuparam cargos até em gestões da oposição", Poder, 25/5).
Antônio Carlos de Paula (Mogi Mirim, SP)

É a política original do modelo brasileiro. Com base forte, governa tranquilo. Não sou eleitor dele e não tenho que ensinar isso a quem ficou 30 anos no Congresso. É preciso políticos experientes nos cargos fundamentais, sem entregar a alma do governo. Muito amadorismo até agora.
José Afonso Gonçalves (Volta Redonda, RJ)


Ataque à imprensa
Qual é a ocupação desse pessoal? Será que não têm nada mais produtivo para fazer? É uma escória mesmo ("Apoiadores de Bolsonaro hostilizam jornalistas após nova crítica do presidente à imprensa", Poder, 25/5).
André Fonseca (Santarém, PA)

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro xingam profissionais de imprensa que trabalhavam no Palácio da Alvorada após a saída do presidente - Pedro Ladeira/Folhapress


Bando de idiotas úteis. São como os petistas: Lula é inocente, o tríplex não é dele. Esses aí só mudam a cor da camisa.
Elias Marinho (Brasília, DF)

Celso de Mello
Nem é preciso ser advogado para ver que o artigo da Lei de Abuso de Autoridade não se enquadra no caso da divulgação do vídeo. Uma reunião ministerial é um evento da vida pública do futuro ex-presidente, nada tendo a ver com sua intimidade ou com a sua privacidade ("Após divulgação de vídeo, Bolsonaro tentará levantar suspeição de Celso de Mello em inquérito", Poder, 24/5).
Rita de Cássia Louback de Souza (Nova Friburgo, RJ)

O PGR está sendo covardemente pressionado pelo STF, que aceita tudo o que vem de partidecos de esquerda e quer colocar o PGR em saia justa. Mas basta o senhor Augusto Aras agir dentro da lei que não haverá nenhum problema com o presidente Bolsonaro.
João Carlos Moreno (Presidente Prudente, SP)

Bolsonaro durante entrevista após a divulgação do vídeo da reunião ministerial - Pedro Ladeira/Folhapress


Jair Bolsonaro quer que seus seguidores acreditem que ele está sendo vítima de uma conspiração do Supremo para esconder as suas falcatruas e assim montar um autogolpe.
Guilherme Torres Godoy (Paranaíba, MS)

A boiada
A boiada do ministro Salles já está encaminhada. "Em meio a pandemia, Câmara do DF aprova plano de saúde vitalício a ex-deputados" (Poder, 21/5). É um escândalo.
Antônio Guimarães Neto (Santos, SP)


No editorial "Passar a boiada" (Opinião, 25/5), o jornal assinala o verdadeiro bacanal organizado por integrantes do atual governo federal em relação ao meio ambiente, a começar pelo sinistro Ricardo Salles. Nestes momentos de obscurantismo oficial, é bom resgatar conceitos sociológicos, como os estabelecidos por Erich Fromm em "O Coração do Homem". Ele dividiu os seres humanos em biófilos, que amam a vida e a natureza, e os necrófilos, que amam o que é inerte, como as armas e o dinheiro.
José Elias Aiex Neto (Foz do Iguaçu, PR)


Diagnóstico
Arrisco o diagnóstico de paranoia (núcleos psicóticos bem desenvolvidos) com delírios de ciúme (Bebiano, Mandetta, Moro), perseguição (o sistema, a imprensa) e grandeza (gripezinha). Mas verifico que, além disso, seus núcleos psicopáticos bem desenvolvidos são caracterizados por seu desprezo pela vida, pela verdade, pela ciência, pela democracia, pelo meio ambiente, pelos indígenas, pela segurança da população etc... Enfim, trata-se de um paranoico e sociopata.
Paulo Sérgio Vargas Werneck, médico e psicanalista (Taubaté, SP)


O país inexistente
Na imagem publicitária que enfeita a sala da macabra reunião ministerial, vemos cinco crianças brancas, duas delas loiras, olhando para o lema Pátria Amada Brasil acima de suas cabeças. O país projetado nessa imagem não existe. Talvez se trate do sonho futuro do governo: armar os brancos que tenham poder aquisitivo para isso e eliminar os negros, pardos, indígenas, orientais, até que o rosto da nação corresponda à imagem projetada. Seja qual for o custo, esse país nunca existirá. Este governo é que deixará de existir.
Marcelo Silva Souza (São Vicente, SP)

Cartaz de campanha do governo federal - Reprodução


Em vez de juntos buscarem soluções, a "cúpula ministerial" e o presidente se reúnem para trocar palavrões e baixarias, num cenário de total desrespeito a este momento triste pelo qual passa o Brasil. Mas, "enquanto os homens exercem seus podres poderes", moradores de Paraisópolis dão um banho de civilidade e se unem em ações solidárias, já que não há políticas públicas voltadas para as favelas.
Carmen Lúcia Gomes (São Paulo, SP)


Chuva
Em relação ao texto "Chuva causa estragos na Baixada Santista" (Saúde, 24/5), a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano informa que a família citada não consta da lista das 429 indicadas pela Prefeitura do Guarujá com direito a benefícios sociais por serem vítimas das chuvas. Desse total, 61 famílias já fizeram o saque de R$ 300 do Auxílio Moradia Emergencial e da parcela única de R$ 1.000 do Programa Novo Começo. Outras 201 estão recebendo esses pagamentos, e 167 os receberão na terceira semana de junho.
Marcelo David Pawel, assessoria de imprensa da CDHU (São Paulo, SP)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.