Descrição de chapéu Eleições 2020

Prefeitos e ex-prefeitos lideram em oito capitais, apontam Datafolha e Ibope

Institutos fizeram pesquisas em 14 capitais; nomes conhecidos largam na frente nas eleições municipais deste ano

Salvador

As pesquisas de intenção de voto dos institutos Datafolha e Ibope apontam que prefeitos e ex-prefeitos saíram na frente após a largada da campanha eleitoral nas capitais.

Ao todo, foram feitas pesquisas por um dos dois institutos em 14 capitais entre os dias 21 de setembro e 08 de outubro. Em sete delas lideram candidatos governistas e em outras sete estão na frente candidatos de oposição aos atuais prefeitos.

Estão em primeiro lugar nas pesquisas os atuais prefeitos de cinco capitais que concorrem à reeleição: Alexandre Kalil (PSD), em Belo Horizonte; Rafael Greca (DEM), em Curitiba; Álvaro Dias (PSDB), em Natal, Gean Loureiro (DEM), em Florianópolis; e Cinthia Ribeiro (PSDB), em Palmas.

Em outras três cidades, aparecem na frente ex-prefeitos que voltam a disputar o cargo no campo da oposição.

É o caso de Eduardo Paes (DEM) que lidera no Rio de Janeiro com 30% na pesquisa Datafolha, deixando o atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) na segunda colocação com 14%. A deputada estadual Martha Rocha (PDT) tem 10% e está tecnicamente empatada com Crivella.

O mesmo desenho se replica em Belém e em João Pessoa, onde ex-prefeitos lideram. Na capital paraense, o deputado federal Edmilson Rodrigues (PSOL), que foi prefeito de 1997 a 2004 pelo PT, aparece em primeiro lugar na pesquisa Ibope.

Em João Pessoa, o líder nas pesquisas é Cícero Lucena (PP), que foi prefeito da capital paraibana também de 1997 a 2004. Nesta eleição, tem o apoio do governador João Azevêdo (Cidadania).

Em outras quatro capitais, lideram nomes da oposição aos atuais prefeitos, mas que já são conhecidos por terem disputado a prefeitura em eleições anteriores.

Este é o cenário de São Paulo, onde Celso Russomanno (Republicanos) lidera com 27% no Datafolha contra 21% do prefeito Bruno Covas (PSDB) e 13% de Guilherme Boulos (PSOL). É a terceira vez consecutiva que Russomanno disputa a prefeitura de capital paulista.

Em Porto Alegre, a ex-deputada Manuela D’Ávila (PC do B) aparece em primeiro lugar nas intenções de voto, segundo o Ibope. Ela já disputou a prefeitura em 2008 e 2012, sendo derrotada nas duas vezes. Na sequência aparecem o ex-prefeito José Fortunati (PTB) e o ex-vice-prefeito Sebastião Melo (MDB).

Nas cidades de Goiânia e São Luís, lideram as pesquisas do Ibope os candidatos que ficaram em segundo lugar na eleição de 2016. Na capital maranhense, o líder em intenção de votos é o deputado Eduardo Braide (Podemos), candidato de oposição ao atual prefeito.

Em Goiânia, o senador Vanderlan Cardoso (PSD), que disputou a prefeitura e perdeu há quatro anos, lidera numericamente, mas tecnicamente empatado com o ex-governador Maguito Viela (MDB), que tem o apoio do prefeito Iris Rezende (MDB).

Em outras duas capitais, lideram as pesquisas candidatos que disputam a prefeitura pela primeira vez, mas têm o apoio dos atuais prefeitos que completam um ciclo de oito anos de mandato.

Em Salvador, o vice-prefeito Bruno Reis (DEM), candidato do prefeito ACM Neto (DEM), lidera. No Recife, o primeiro nas pesquisas é do deputado federal João Campos (PSB), candidato apoiado pelo prefeito Geraldo Julio (PSB). Ele marcou 26% das intenções de voto na pesquisa Datafolha.

O quadro inicial aponta para um possível avanço do DEM nas capitais. A sigla, que em 2016 havia eleito apenas o prefeito de Salvador em 2016, agora lidera em quatro. Em duas delas, Curitiba e Florianópolis, os candidatos à frente são os atuais prefeitos que se filiaram ao partido depois de eleitos.

O PSDB e o PSD lideram em duas capitais cada. Os tucanos estão na frente em Natal e em Palmas, onde os atuais prefeitos tentam a reeleição.

Já o PSD lidera em Goiânia e em Belo Horizonte. Na capital mineira, o prefeito Alexandre Kalil tem 56% e venceria no primeiro turno, segundo o Datafolha.

Erramos: o texto foi alterado

Diferentemente do que afirmou versão anterior desta reportagem, Sebastião Melo (MDB) é ex-vice-prefeito de Porto Alegre, não ex-prefeito. O texto foi corrigido.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.