Descrição de chapéu ilustríssima conversa

Relação entre EUA e China vai piorar bastante, diz Oliver Stuenkel

No primeiro episódio da série especial do podcast, professor de relações internacionais discute o futuro da globalização

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Eduardo Sombini
Eduardo Sombini

Geógrafo e mestre pela Unicamp, é repórter da Ilustríssima

O futuro da globalização é o tema do primeiro episódio da série especial do Ilustríssima Conversa que vai discutir o que vem pela frente em questões importantes da conjuntura atual.

Nos próximos quatro meses, o podcast receberá intelectuais e pesquisadores para discutir, em um episódio extra por mês, o que eles veem como tendências em suas áreas de atuação nas próximas décadas. As conversas com autores que estão lançando obras de não ficção continuam a ser publicadas normalmente a cada duas semanas.

Oliver Stuenkel, professor de relações internacionais da FGV São Paulo e autor de "O Mundo Pós-ocidental" e "BRICS e o Futuro da Ordem Global", diz neste episódio que estamos testemunhando o começo do fim da globalização.

Para o pesquisador, a transição de um mundo em que os Estados Unidos exerciam hegemonia absoluta para uma ordem global multipolar, com novos países emergindo no cenário internacional, vai ser marcada por tensões crescentes entre as potências.

Oliver Stuenkel, professor de relações internacionais da FGV São Paulo, durante debate no auditório da Folha - Keiny Andrade - 11.nov.19/Folhapress

Na conversa, Stuenkel afirma que o cenário mais provável no futuro é uma desconexão —financeira, produtiva, tecnológica— entre os blocos liderados pelos EUA e pela China e que os americanos, depois de décadas apostando no aprofundamento da integração econômica com o resto do mundo, vão concentrar seus esforços em conter o avanço de Pequim.

O autor também falou sobre os papéis que o Brasil pode assumir nesse novo arranjo internacional. A ascensão da China pode ampliar a margem de manobra do Brasil, ele diz, e o país pode se consolidar como um ator que contribui com causas globais, como a mitigação da crise climática.

Um dos principais desafios de futuros governos brasileiros, me parece, será o país ser visto como um interlocutor crível e um contribuinte de bens públicos globais, como a proteção do meio ambiente. Dessa forma, quem sabe, será possível manter laços cordiais tanto com os Estados Unidos e a Europa quanto com a China e a Rússia —lembrando que a relação entre essas grandes potências vai piorar bastante

Oliver Stuenkel

professor de relações internacionais da FGV São Paulo

O Ilustríssima Conversa está disponível nos principais aplicativos, como Apple Podcasts, Spotify e Stitcher. Ouvintes podem assinar gratuitamente o podcast nos aplicativos para receber notificações de novos episódios.

O podcast entrevista, a cada duas semanas, autores de livros de não ficção e intelectuais para discutir suas obras e seus temas de pesquisa.

Já participaram do Ilustríssima Conversa Marcos Nobre, que denunciou o projeto golpista de Bolsonaro, Jean Marcel Carvalho França, pesquisador da história da maconha no Brasil, Vincent Bevins, autor de livro sobre massacres da esquerda durante a Guerra Fria, Rodrigo Nunes, que discutiu as raízes do bolsonarismo, André Lara Resende, crítico da teoria econômica mainstream, James Green, brasilianista autor de um clássico sobre a história da homossexualidade no Brasil, Sidarta Ribeiro, neurocientista que desenvolve pesquisas sobre a importância de sonhar, Heloisa Starling e Miguel Lago, autores de ensaios sobre a lógica de destruição do bolsonarismo, Fábio Ulhoa Coelho, professor de direito que ponderou sobre as relações entre liberdade e igualdade, Debora Diniz, acadêmica que se dedica às áreas de gênero e direitos reprodutivos, entre outros convidados.

A lista completa de episódios está disponível no índice do podcast. O feed RSS é https://folha.libsyn.com/rss.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.