Com 'quem manda sou eu', Bolsonaro repete tática de reafirmar a sua própria autoridade; relembre outros casos

Presidente sofreu derrota nesta quarta (29) ao ter nomeação para o comando da PF suspensa pelo STF

São Paulo

Contrariado mais uma vez pelo STF (Supremo Tribunal Federal), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) lançou mão de seu velho recurso de reafirmação da própria autoridade nesta quarta-feira (29).

"Quem manda sou eu e eu quero o Ramagem lá", afirmou a jornalistas na entrada do Palácio da Alvorada, referindo-se à ordem para que a AGU (Advocacia-Geral da União) entrasse com um recurso contra a decisão do Supremo que vetou a nomeação de Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal.

Segundo psicanalistas entrevistados para reportagem da Folha, esse comportamento mostra insegurança.

"Ter que ficar reafirmando que quem decide é ele, é, em parte, a sinalização de certa fragilidade de quem sabe que não pode decidir. Porque, na hora das decisões reais, não será ele. Como aconteceu no processo da crise de saúde. Será o ministro da Saúde", afirmou o psicanalista Tales Ab'Sáber, professor da Universidade Federal de São Paulo.

Relembre, a seguir, outras situações em que Bolsonaro teve de reafirmar a sua própria autoridade.

O presidente Jair Bolsonaro assina decreto que modifica a regulamentação para posse de arma de fogo no país, em Brasília - Pedro Ladeira - 15.jan.2019/Folhapress

SOU EU? (27.ABR.2019)

“Quem indica e nomeou o presidente do Banco do Brasil? Sou eu? Não preciso falar mais nada, então."
Ao comentar censura de campanha publicitária do Banco do Brasil

COM A CANETA (28.MAI.2019)

"Eu disse para o Rodrigo Maia. Com a caneta eu tenho muito mais poder do que você. Apesar de você, na verdade, fazer as leis, né? Eu tenho o poder de fazer decreto. Logicamente, decretos com fundamento."
No lançamento da Frente Parlamentar Mista da Marinha Mercante Brasileira, ao defender a revogação do decreto que criou a Estação Ecológica de Tamoios

EU SOU O PRESIDENTE (20.JUN.2019)

“Quem demarca terra indígena sou eu! Não é ministro. Quem manda sou eu. Nessa questão, entre tantas outras. Eu sou um presidente que assume ônus e bônus.”
Ao comentar medida provisória que devolvia demarcação de terras indígenas ao Ministério da Agricultura, revertendo decisão do Congresso

EU MANDO (4.AGO.2019)

“Eu não peço [a demissão], certas coisas eu mando.”
Ao responder se havia pedido a exoneração do diretor do Inpe, Ricardo Galvão, após ser contrariado com dados sobre o desmatamento da Amazônia

EU GANHEI (5.AGO.2019)

"A campanha acabou para a imprensa. Eu ganhei. A imprensa tem que entender que eu, Johnny Bravo, Jair Bolsonaro, ganhou, porra!"
Em inauguração de usina em Sobradinho (BA)

QUEM MANDA SOU EU (16.AGO.2019)

"Quem manda sou eu, vou deixar bem claro. Eu dou liberdade para os ministros todos, mas quem manda sou eu."
Ao ser questionado sobre a trocas no comando da Polícia Federal, em meio a embate com Sérgio Moro (Justiça)

PRESIDENTE BANANA (16.AGO.2019)

"Quando vão nomear alguém, falam comigo. Eu tenho poder de veto, ou vou ser um presidente banana agora? Cada um faz o que bem entende e tudo bem?"
Também quando foi questionado sobre a trocas no comando da Polícia Federal

CARTÃO VERMELHO (6.FEV.2020)

"[O caso de Onyx] é um ponto a ser estudado, tá ok? Qualquer ministro que, porventura, queira aí usar o ministério [para], em vez de atender ao Brasil, atender ao seu estado ou ao seu município está fadado a levar um cartão vermelho. Eu não vou confirmar o que você falou aí, mas, em havendo…"
Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, sobre situação do então ministro da Casa Civil Onyx Lorenzoni, acusado de favorecer reduto eleitoral

PODER DE VETO (4.MAR.2020)

"Regina, todos os meus ministros também receberam seu ministério de porteira fechada. Por isso, tem liberdade de escolher seu time. Obviamente, em alguns momentos, eu exerço o poder de veto de alguns nomes. Eu já fiz em todos os ministérios. Até porque, para proteger a autoridade. Isso não é perseguir."
Ao responder Regina Duarte, que falou em carta branca em sua cerimônia de posse na Secretaria de Cultura

SOU EU, PÔ (26.MAR.2020)

“O presidente sou eu, pô. O presidente sou eu.”
Ao ser questionado sobre a defesa do isolamento social pelo vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB)

EU SOU O PRESIDENTE (31.MAR.2020)

"Não se esqueça que eu sou o presidente."
Quando foi questionado sobre a defesa de isolamento social pelo seu ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

MINHA CANETA FUNCIONA (5.ABR.2020)

"[De] algumas pessoas do meu governo, algo subiu à cabeça deles. Estão se achando demais. Eram pessoas normais, mas, de repente, viraram estrelas, falam pelos cotovelos, tem provocações. A hora D não chegou ainda não. Vai chegar a hora deles, porque a minha caneta funciona."
Ao falar com grupos de religiosos aglomerados em frente ao Palácio da Alvorada

QUEM MANDA SOU EU (29.ABR.2020)

"É dever dela [AGU] recorrer. (...) Quem manda sou eu e eu quero o Ramagem lá."
Ao desautorizar o advogado-geral da União, que havia divulgado nota pública afirmando que não recorreria da suspensão da posse de Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal. O delegado teve a nomeação suspensa pelo ministro do STF Alexandre de Moraes

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.