Diário de confinamento: 'Tem chovido muito nestes dias em Barcelona'

Governo espanhol enfim anuncia pacote complementar para apoiar diferentes setores

Susana Bragatto
Barcelona

Dia #18 – Barcelona – Terça, 31 de março. Cena: Durante a já clássica salva de palmas para os profissionais da saúde às 20h, teve fogos de artifício e bolero.

Tem chovido muito nestes dias em Barcelona, num microcoronaclima que realça a intensidade de bolha dos dias confinados.

Dizem que a dissipação da poluição urbana por conta do lockdown dos últimos 18.359 dias (digo, duas semanas e 96 horas, ou 25.920 minutos) pode render até neve, um evento raro nestas terras mediterrâneas. "No Tibidabo, mas enfim", especificou meu companheiro de apartamento, responsável pelos boletins meteorológicos da casa.

Rua vazia em Barcelona nesta terça (31); toda a Espanha está em confinamento
Rua vazia em Barcelona nesta terça (31); toda a Espanha está em confinamento - Nacho Doce/Reuters

O Tibidabo é uma das montanhas emblemáticas que circundam a cidade. Dá pra vê-la de muitos pontos, tipo o Cristo Redentor, só que com uma "nòria" (roda-gigante, em catalão) no topo e uma catedral no lugar dos braços-abertos de concreto e pedra-sabão. (Você sabia que o Cristo era feito de pedra-sabão? Eu não.)

Nesta terça (31), somente hoje e exatamente hoje, nas últimas horas de março, Dia Internacional de Contas a Pagar do Cidadão Confinado Taquicárdico, o governo central espanhol anunciou um pacote complementar para apoiar diferentes setores da população até então desprotegidos diante das consequências econômicas da coronacrise.

As medidas contemplam inquilinos e pequenos negócios com microcréditos e renegociação de hipotecas, autônomos com moratórias de quotas e impostos e "empleados del hogar" (empregados domésticos) com ajudas emergenciais, entre outros.

Um dos principais enfoques do novo pacote, que complementa o anterior anunciado em meados de março, são os setores considerados "vulneráveis".

Isso inclui os trabalhadores temporários, uma realidade bastante comum na Espanha, na qual pelo menos 40% dos contratos de trabalho são de curta duração. Esses trabalhadores terão direito a uma renda mínima, mesmo que não tenham contribuído o suficiente para solicitar o seguro-desemprego.

As medidas anunciadas também atendem, por exemplo, a pedidos de associações de ex-viciados em jogo, que reportaram um grande aumento de gente buscando ajuda durante o confinamento. A partir de agora, a publicidade de jogos em diferentes mídias estará limitada à franja horária da madrugada, entre 1h e 5h.

Nem todo mundo está satisfeito. Entre os autônomos, as dúvidas são muitas. A pergunta que não quer calar é: por que a moratória só agora, no final do mês, se o setor vem pressionando por uma atitude do governo desde pelo menos meados de março?

A taxa nominal para autônomos na Espanha é a mais cara da Europa. Ganhando ou não, a quota mínima mensal chega a quase 300 euros por mês (R$ 1.723), contra uma média de 14 a 58 euros (R$ 80 a R$ 334) no Reino Unido e 140 euros (R$ 804) na Alemanha (para recebimentos de mais de 1.700 euros ao mês, ou cerca de R$ 9.800).

A mesma desconfiança se aplica aos inquilinos. Na véspera do pacote recém-divulgado, os autodenominados sindicatos de inquilinos de Madri e Barcelona anunciaram uma greve geral de pagamento de aluguéis a partir de 1º de abril, como forma de protesto contra a falta de medidas para remediar a insolvência geral. Ora, ora, piñoles, que coincidência mais matuta.

Além da pedra-sabão do Cristo, nesta terça eu descobri também o significado de Tibidabo. Vem do latim e quer dizer algo como “te darei”. Mais exatamente, dizem, o nome é uma referência a uma passagem bíblica em que o diabo tenta Jesus, que acabava de sair de uma quarentena (!) no deserto, e lhe oferece, assinalando as glórias e reinos do mundo do alto de uma montanha: “tudo isto te darei se, prostrado, me adorares”.

“Músicas para Quarentenas” podem ser escutadas aqui.


Leia a parte 1 do diário de confinamento em Barcelona: 'Não estamos de férias, mas em estado de alarme'

Leia a parte 2 do diário de confinamento em Barcelona: 'Teste, só para pacientes internados'

Leia a parte 3 do diário de confinamento em Barcelona: 'A vida vista de cima'

Leia a parte 4 do diário de confinamento em Barcelona: 'Panelaço contra o rei'

Leia a parte 5 do diário de confinamento em Barcelona: 'O perigo mora em casa'

Leia a parte 6 do diário de confinamento em Barcelona: 'Solidariedade em tempos de vírus'

Leia a parte 7 do diário de confinamento em Barcelona: 'O lado utópico da crise'

Leia a parte 8 do diário de confinamento em Barcelona: 'O canto dos pássaros urbanos'

Leia a parte 9 do diário de confinamento em Barcelona: 'Os de baixo ficam sem banquete'

Leia a parte 10 do diário de confinamento em Barcelona: 'Essa desproteção vai cobrar fatura'

Leia a parte 11 do diário de confinamento em Barcelona: 'Se não estamos no pico, estamos muito próximos'

Leia a parte 12 do diário de confinamento em Barcelona: 'Tensão cresce em diferentes setores'

Leia a parte 13 do diário de confinamento em Barcelona: 'Único tratamento agora é a disciplina'

Leia a parte 14 do diário de confinamento em Barcelona: 'Os domingos são como segundas, e as segundas como domingos'

Leia a parte 15 do diário de confinamento em Barcelona: 'Cada incursão ao exterior é uma operação de guerra'

Leia a parte 16 do diário de confinamento em Barcelona: 'Começam a proliferar os vigilantes da lei entre os cidadãos'

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.