Prisão de Battisti na Itália corrige 'impunidade no inconsciente do brasileiro', diz leitora

Expulsão de terrorista pelo governo boliviano é elogiada como correção de erro histórico

Cesare Battisti

Civilizadamente, como é das nações adultas e democráticas, o Brasil vai lavar sua honra aviltada pela canetada ideológica de Lula. Não com sangue, mas com Justiça.

Paulo Boccato (São Carlos, SP)

 

Mais uma vitória para o brasileiro de bem. A Itália agora terá Cesare Battisti cumprindo pena por ter assassinado quatro pessoas. Conseguiu asilo político no Brasil apenas por ser amigo dos petistas. Isso ficou cravado em nosso inconsciente como impunidade.

Beatriz Campos (São Paulo, SP)

 

Battisti é um assassino, não um ideólogo, como os jornais de esquerda —como o francês Le Monde— querem fazer crer. Lula afrontou a Justiça italiana recusando-se a entregar o foragido. Já vai tarde.

Regina Athayde (São Paulo, SP)


Governo Jair Bolsonaro

A única possibilidade de Bolsonaro seguir adiante, mesmo com tantas trapalhadas, é a recuperação econômica com geração de empregos. Os temas polêmicos perderão força com a economia nos trilhos e o brasileiro com dinheiro no bolso.

André Pedreschi Aluisi (Rio Claro, SP)

 

Do alto do status de ex-presidente mais bem avaliado pela população, Lula jamais se recusou a colaborar com a Justiça. Mesmo assim, foi submetido a condução coercitiva sem intimação prévia. Por que não se aplica o procedimento aos próximos a Bolsonaro que se recusam a prestar informações? 

Caetano Brugnaro (Piracicaba, SP)

 

Parabenizo a equipe do hospital Albert Einstein pela rápida recuperação de Fabrício Queiroz. Agora ele certamente se encontra apto a depor à Justiça e explicar o que todo mundo já intuiu.

José Marcos Thalenberg (São Paulo, SP)

 

A dúvida quanto ao novo governo refere-se à questão ambiental. Parece que há problemas sobre a sua compreensão, e estudar um pouco pode ajudar. Nas áreas urbanas, as poluições e a questão do lixo são essenciais. A reciclagem de materiais e a proteção de espécies ameaçadas não é de menor importância. 

Mário Negrão Borgonovi (Rio de Janeiro, RJ)


Aborto e feminicídio

Foi negativamente impactante ler a reportagem “Contrários a qualquer tipo de aborto no Brasil atingem 41%”. O texto ignora o contraditório, trazendo exclusivamente a posição de recém-nomeadas mandatárias (declaradamente antiaborto) para cargos neste governo retrógrado.

Angela Freitas (Rio de Janeiro, RJ)

 

A escalada de feminicídio no Brasil é emblemática da cultura machista que dominou a sociedade nacional desde os primórdios de nossa colonização. Só a educação de nossas crianças e a dura aplicação da lei poderão reduzir tais delitos.

José de Anchieta Nobre de Almeida (Rio de Janeiro, RJ)


Embraer

Conselho da Embraer —composto de investidores gananciosos com visão de curtíssimo prazo— aprova a venda de parte da terceira fabricante de aviões comerciais do mundo. A Boeing precisa mais da Embraer do que o oposto. Que brasileiros de visão impeçam essa manobra.

Antonio Camargo (São Paulo, SP)


Colunistas

O pior de tudo é o senhor presidente dizer que assinou uma norma para aumentar o IOF . Uma demonstração de que nem sequer lê o que assina. Talvez porque perca tempo demais nas redes sociais.

Ricardo Fernandes (BA)

 

Como grande fã de “Seinfeld”, gostei da referência. Naquele fatídico episódio, George ainda tenta envenenar o chefe…

Ricardo Ananias (SP)


Sistema S

Ao argumentar que há duplicidade na oferta do Sistema S em relação ao poder público, Samuel Pessôa ignora que ele ampliou e tornou mais complexa sua atividade desde então, agindo onde Estado ou iniciativa privada não atuam. Se toda política precisa apresentar ganhos superiores aos custos, basta avaliar qual resultado competitivo teria o Brasil sem o provimento de qualificação de mão de obra do Senai.

Rodrigo Veloso (São Paulo, SP)


Educação sexual nas escolas

O texto de Edson Luiz Sampel é uma elegia ao obscurantismo e à ignorância. Primeiro porque se apoia numa fé circunscrita a apenas uma parte da humanidade e, depois, porque ignora fatos e a história. Sugiro que leia a literatura especializada. Vai descobrir que a imensa maioria das distorções sexuais ocorre em casa e com os próximos: pais, irmãos, tios, primos, avós.

Gustavo A. J. Amarante (São Paulo, SP)

 

Canonizar a família como a responsável por educação sexual é um equívoco. Há famílias e famílias. Contra abusos, a criança, na maioria das vezes, só tem a escola como meio para denúncias.

Paulo Sérgio do Carmo (São Paulo, SP)

 

É estarrecedor ver publicado em pleno século 21 um texto tão medieval e retrógrado. Edson Sampel defende que “valores cristãos” façam parte de políticas de governo e que o ensino religioso seja implantado nas escolas públicas. Delegar aos pais a educação sexual é incentivar a doença e a gravidez precoce.

João Braga (São José dos Campos, SP)

 

Mais uma voz se une ao coro trevoso dos que querem deter a marcha da civilização, impondo crenças para o controle de corpos e mentes.

Agostinho Sebastião Spínola (São Paulo, SP)

 

Venho parabenizar a professora Nina Ranieri pelo artigo. O Estado é laico e a escola deve, sim, orientar sobre sexualidade.

Hamilton Menezes Neves (São Paulo, SP)


Militares

A parcialidade de parte da imprensa é notória quando citam os militares e a Previdência. Qual categoria tem as exigências feitas aos militares? Sem limite de carga horária, sem adicional noturno, com regime disciplinar diferenciado até na inatividade e com a Constituição proibindo greve e sindicalização?

Heitor Vianna P. Filho (Araruama, RJ)

 

O papel do ex-comandante do Exército, general Villas Bôas, foi ter optado pela pacificação. Seu discurso de despedida, digno de entrar para a história, revela que o patriotismo ganha votos dos que se preocupam com o Brasil.

Yvette Kfouri Abrão (São Paulo, SP)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.