Descrição de chapéu Copa Libertadores 2020

Palmeiras investe menos e espera dar tiros certeiros por Libertadores

Time alviverde estreia no torneio nesta quarta (4), contra o Tigre, na Argentina

São Paulo

Tentando implementar a filosofia de que "menos é mais", o Palmeiras inicia nesta quarta-feira (4), às 19h15, sua trajetória na Copa Libertadores 2020, contra o Tigre, na Argentina, em busca do segundo título da competição.

O torneio sul-americano continua sendo tratado como obsessão por torcedores, patrocinadora e o próprio clube, mas o número de atletas contratados para a disputa da fase de grupos é o menor desde a edição de 2016 (sete jogadores), a primeira da equipe com o aporte financeiro da Crefisa.

A diretoria palmeirense trouxe apenas dois reforços para a atual temporada: o atacante Rony, 24, e o lateral esquerdo uruguaio Matías Viña, 22.

Saiba onde assistir aos jogos da Copa Libertadores de 2020

O auge no quesito número de reforços do Palmeiras para o início das chaves da Libertadores ocorreu em 2017, quando 9 jogadores foram trazidos –em 2018 foram 6.

Há três anos, o clube desembolsou R$ 110,6 milhões, segundo valores de transferências compilados pelo site Transfermarkt e corrigidos pela inflação do período, de acordo com o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

Na temporada atual, Rony, ex-Athletico, e Viña, ex-Nacional (URU), custaram juntos R$ 53,1 milhões. Esse valor é 52% mais baixo do que o despendido em 2017, ano em que a Crefisa mais injetou dinheiro na formação do elenco para tentar a conquista do bicampeonato continental.

Na ocasião, o colombiano Miguel Borja, então com 24 anos, foi a grande contratação de 2017. Pelo atacante, o Palmeiras pagou ao Atlético Nacional (COL) R$ 36,8 milhões (valores atualizados), na aquisição mais cara da história do clube. Outros oito atletas chegaram ao plantel para a disputa do torneio, comandado naquela oportunidade por Eduardo Baptista.

O grande investimento não impediu a demissão do treinador ainda na fase de grupos do torneio e a eliminação do time nas oitavas de final para o Barcelona (EQU), já sob a tutela de Cuca, após ser derrotado nas penalidades.

A diferença no número de reforços e nos valores investidos em 2020, até o momento, vêm ao encontro de declarações recentes do presidente Maurício Galiotte, após avaliar o desempenho da equipe no ano passado, quando não conquistou títulos e foi contestada pelos jogadores contratados.

"Neste momento, a gente muda um pouco a nossa postura em relação ao mercado", ele disse no início da pré-temporada. "Estamos fazendo um trabalho para que tenhamos um grupo qualificado, mas que não seja grande."

O atacante Rony, ex-Athletico-PR, foi contratado pelo Palmeiras no início desta temporada
O atacante Rony, ex-Athletico-PR, foi contratado pelo Palmeiras no início desta temporada - Cesar Greco - 27.fev.20/Ag. Palmeiras

As principais queixas dos torcedores em relação ao time de 2019 foram as apostas feitas pela diretoria e pela comissão técnica, então comandada pelo técnico Luiz Felipe Scolari, para reforçar a base campeã do Campeonato Brasileiro do ano anterior, que havia sido mantida.

Na ocasião, seis atletas chegaram em definitivo ou por empréstimo para o início da Libertadores –a equipe foi eliminada pelo Grêmio nas quartas de final. O perfil buscado era de atletas promissores, como o centroavante Arthur Cabral, então com 20 anos, que havia tido bom desempenho na temporada anterior com a camisa do Ceará –pouco utilizado e vendido ao FC  Basel– e o meia Zé Rafael, que tinha 25 anos na época e era o principal jogador do Bahia, mas que oscilou durante seu primeiro ano com a camisa alviverde.

Outra jovem promessa para 2018, essa indicada por Felipão, foi o atacante Carlos Eduardo, 22 anos à época, revelado pelo Goiás e que estava no Pyramids (EGI). Por ele, foram desembolsados R$ 25, 4 milhões. Apesar das oportunidades, o jogador não se firmou na equipe titular, marcou apenas um gol e nesta temporada foi para o Athletico.

Atualmente, um valor equivalente foi investido em Matías Viña, 22, que estava no Nacional (URU). Ele foi eleito o melhor jogador de seu país em 2019 e passou a ser chamado pelo técnico Óscar Tabárez para a seleção uruguaia. Já Rony foi um dos destaques do Athletico na campanha que levou o clube ao seu primeiro título da Copa do Brasil. Na segunda partida da decisão, ele fez o gol da vitória sobre o Internacional, por 2 a 1, no Beira-Rio.

A contratação de ambos corrobora o discurso de Galiotte, de contratar em menos quantidade, mas trazer jogadores que possam disputar lugar no time titular.

Além de buscar reforços mais "prontos", o Palmeiras também aumentou a presença de jogadores formados pelo clube em seu elenco principal.

Os garotos são Alan, 19, Esteves, 19, Patrick de Paula, 20, Gabriel Menino, 19, Veron, 17, e Angulo, 20, (não foi inscrito na Libertadores), recém-promovidos, além de Vinicius Silvestre, 25, que estava emprestado e retornou.

A política de dar mais espaço aos jovens foi anunciada pelo ex-diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, ainda no ano passado, pouco antes de ser demitido. Agora no futebol inglês, ele foi o responsável pelo grande volume de contratações desde 2015, ano também do contrato firmado com a principal patrocinadora.

A escolha da comissão técnica para esta temporada também teve a contenção de gastos como um dos fatores determinantes. Em dezembro, o clube negociou com o técnico argentino Jorge Sampaoli, após ele se desligar do Santos, mas recusou a pedida de salário de cerca de R$ 2 milhões do estrangeiro.

Vanderlei Luxemburgo e sua comissão técnica foram contratados por aproximadamente R$ 600 mil.

Mesmo gastando menos, a conquista da Libertadores ainda é a grande meta da equipe para a temporada. Desde 2015, início da era Crefisa, essa é a quinta participação do time no torneio. Sua melhor campanha no período foi em 2018, quando chegou às semifinais.

O Tigre, adversário do Palmeiras nessa quarta, disputa atualmente a segunda divisão do Campeonato Argentino. Na edição de 2013 da competição sul-americana, quando os clubes se enfrentaram, o time alviverde era quem estava na Série B. Na época, a vitória dos argentinos provocou ira da torcida uniformizada palmeirense e agressão ao goleiro Fernando Prass, no aeroporto de Buenos Aires.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.