Saltar para o conteúdo principal
 
26/04/2018 - 10h11

Livro apresenta Chimamanda Ngozi Adichie para o público infantil

da Livraria da Folha

Divulgação
Boa parte das mulheres apresentadas na obra morreu sem saber da importância de seus feitos para a história mundial
Boa parte das mulheres apresentadas na obra morreu sem saber da importância de seus feitos para a história mundial

Em "Histórias de Ninar para Garotas Rebeldes 2" as autoras Elena Favilli e Francesca Cavallo seguem a fórmula do primeiro volume e apresentam para o público infantil o perfil de mulheres inspiradoras.

Com acabamento em capa dura, o livro reúne em tom fabular as histórias de 100 mulheres extraordinárias, da jogadora Marta à cantara Beyoncé, da revolucionária Anita Garibaldi à escritora J. K. Rowling.

As páginas falam sobre mulheres que fizeram (e fazem) a diferença em suas áreas de atuação. São rainhas, ativistas, bailarinas, advogadas, piratas, cientistas, astronautas e inventoras.

Os perfis são acompanhados de desenhos feitos por 60 ilustradoras de diversos países.

Um dos destaques do livro é o perfil da escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie. A autora que na infância amava ler começou aos sete anos a escrever as próprias histórias.

Em dado momento notou que era diferente dos protagonistas das aventuras que lia. "Não pensei que pessoas com pele cor de chocolate pudessem estar em livros", chegou a dizer, antes de procurar livros africanos com personagens africanos.

Elena Favilli é empreendedora de mídia e jornalista. Trabalhou na revista "Colors", na McSweeney's, na RAI, no "II Post" e no "La Repubblica" e gerenciou agências de notícias de ambos os lados do Atlântico.

Francesca Cavallo é escritora e diretora de teatro. Suas premiadas peças percorreram toda a Europa. É uma inovadora social apaixonada, fundadora do Sferracavalli, o Festival Internacional de Imaginação Sustentável do sul da Itália. Em 2011, Francesca juntou forças com Elena Favilli para fundar o Timbuktu Labs, onde atua como diretora de criação.

Leia abaixo o perfil de Chimamanda Ngozi Adichie no livro "Histórias de Ninar par Garotas Rebeldes 2".

*

Chimamanda Ngozi Adichie

Escritora

Era uma vez, na Nigéria, uma garotinha que amava livros chamada Chimamanda. Ela lia tudo o que via pela frente. Aos sete anos, começou a escrever as próprias histórias. Chimamanda sempre viveu na Nigéria. Ela comia mangas e brincava sob o sol durante todo o ano. Ainda assim, todos os personagens que conhecia eram brancos: tinham olhos azuis, comiam maçãs e brincavam na neve. "Não pensei que pessoas com pele cor de chocolate pudessem estar em livros", ela disse.

Um dia, percebeu que esse era um pensamento bobo, então começou a procurar livros africanos com personagens africanos. Embora vivesse na África, estes eram mais difíceis de achar do que livros europeus ou norte-americanos cheios de pessoas brancas. Quando enfim os encontrou, viu como era incrível ver ali pessoas que se pareciam com ela. Queria ver mais personagens assim.

Chimamanda se tornou uma escritora excepcional. Ela viajou o mundo e contou histórias sobre a Nigéria e a América, sobre mulheres e homens, sobre migração e salões de cabeleireiro, sobre moda e guerra.

Ela tinha um senso de humor inteligente e um talento incrível para explicar de forma clara coisas aparentemente complicadas. As pessoas amaram seus livros. Amaram seus discursos. Compartilhara suas palestras para se sentirem inspiradas e fortalecidas.

Chimamanda tornou-se uma defensora apaixonada da igualdade de gênero. "Algumas pessoas dizem que as mulheres devem ser subordinadas aos homens porque é assim na nossa cultura", ela falou. "Mas a cultura está sempre mudando! Cultura não faz as pessoas. As pessoas é que fazem a cultura!"

-

Nascida em 15 de setembro de 1977
Nigéria

Divulgação

*

HISTÓRIAS DE NINAR PARA GAROTAS REBELDES 2
AUTORAS Elena Favilli, Francesca Cavallo
EDITORA V&R Editoras
QUANTO R$ 85,90 (preço promocional*)

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques.

-

 
Voltar ao topo da página