Saltar para o conteúdo principal
 
25/06/2012 - 16h30

Anticristo terá ascendente em libra, diz livro sobre Nostradamus

da Livraria da Folha

Em "Nostradamus e o Terceiro Anticristo", Mario Reading, especialista nos escritos do vidente francês, examina os chamados três anticristos. Segundo o livro, o último, "aquele que ainda está por vir", nascerá no século 21 e terá ascendente em libra.

Divulgação
Livro apresenta comparação de três mapas astrológicos dos três tiranos
Livro apresenta comparação de três mapas astrológicos dos tiranos

"A parte asiática irá mudar", escreveu Nostradamus
Siga a Livraria da Folha no Twitter
Conheça nossa página no Facebook
Monte sua estante sobre o profeta
Você mataria Hitler?

Na edição, Reading explica que essa é uma característica astrológica compartilhada com o segundo anticristo: Hitler. A semelhança fará do "que está por vir" um homem orgulhoso e incapaz de autocrítica. Napoleão é considerado o primeiro deles.

O sistema de datação criado pelo autor segue um método já exposto em outros livros. Em "Nostradamus", Reading se dedica à explicação das previsões a partir do século 21. No exemplar, especulou sobre um possível atentado à vida do papa Bento 16, ocorrido no início deste ano. Reading também escreveu "As 52 Profecias Perdidas de Nostradamus".

Nascido no dia 14 de dezembro de 1503, em Saint-Remy de Provence, na França, Miquèl de Nostradama, ou apenas Nostradamus, é o mais famoso vidente da história. Os presságios do francês fascinam a humanidade há mais de 400 anos, mas nunca serviram para afastar os perigos.

Divulgação
Médico e astrólogo francês Nostradamus(1503-1566)é o mais famoso vidente
Médico e astrólogo francês Nostradamus(1503-1566)

Novas explicações sobre as centúrias --quadras em versos decassílabos reunidas em grupos de cem, escritas majoritariamente em francês medieval e repletas de anagramas-- surgem de tempos em tempos. Isso acontece devido às dificuldades de tradução e compreensão desses textos, um quebra-cabeça linguístico.

Os céticos argumentam que as interpretações das centúrias são, no máximo, leituras criativas de textos que se enquadram em diversas situações. Quem crê, além de reforçar a ideia do inevitável, defende a dificuldade de tradução e compreensão de profecias cuidadosamente codificadas para evitar o julgamento da Igreja.

Apesar de católico convertido, Nostradamus era de origem judaica --um forte motivo para redobrar a cautela na Europa do século 16. Em toda a história, apenas a Bíblia supera essas previsões em número de cópias vendidas.

Mario Reading estudou literatura comparada na Universidade de East Anglia, onde se especializou em tradução e literatura francesa e alemã. Nos últimos anos, além da publicação de diversos livros sobre Nostradamus, foi convidado a participar de documentários sobre o tema em canais como Discovery, History Channel e National Geographic.

Texto baseado em informações fornecidas pela editora/distribuidora da obra.

 
Voltar ao topo da página