Saltar para o conteúdo principal
 
11/05/2011 - 17h00

"Nasceu o diabo em São Paulo", noticiava o "NP" há 36 anos

FABIO ANDRIGHETTO
da Livraria da Folha

No dia 11 de maio de 1975, o extinto jornal "Notícias Populares" estampava em sua primeira página: "Nasceu o diabo em São Paulo". Com a manchete, nascia também a saga do Bebê-Diabo, "uma criança peluda que apavorou a cidade nos anos 70", como resumiu Zé do Caixão. Para os autores do livro "Nada Mais que a Verdade", "um romance de folhetim interativo".

Divulgação
Mais que uma biografia do jornal, este livro é um romance fantástico
Mais que uma "biografia" do jornal, este livro é um romance fantástico

O recém-nascido, no início da história, não tinha pelos. Ele os "desenvolveu". O menino cresceu nas conversas de bar e nos comentários da vizinhança. Tornou-se uma lenda do jornalismo.

Em um hospital do ABC paulista, no dia anterior, uma criança havia nascido com um prolongamento no cóccix e duas saliências na testa. A deformidade foi rapidamente corrigida graças a uma simples cirurgia na própria maternidade.

Marco Antônio Montadon, repórter enviado ao local, decidiu escrever, sem maiores pretensões, uma crônica de horror inspirada no evento. O jornalista imaginou que o nascimento era um assunto tão fraco que não valia a reportagem. Por falta de assunto melhor, o texto foi publicado.

"Durante um parto incrivelmente fantástico e cheio de mistérios, correria e pânico por parte de enfermeiros e médicos, uma senhora deu a luz num hospital de São Bernardo do Campo a uma estranha criatura, com aparência sobrenaturais, que tem todas as características do Diabo, em carne e osso. O bebêzinho, que já nasceu falando e ameaçou sua mãe de morte, tem o corpo totalmente cheio de pelos, dois chifres na cabeça e um rabo de aproximadamente cinco centímetros, além de um olhar feroz, que causa medo e arrepios."

O caso foi esquecido pela redação do periódico. No dia seguinte, o jornal chegou às bancas e a criança infernal ganhou às ruas. A tiragem esgotou rapidamente, causando furor na população e nos jornaleiros. A multidão queria saber mais. "Bebê-Diabo desaparece", foi publicado no dia seguinte. O "monstrinho" continuou a aparecer por quase um mês.

Siga a Livraria da Folha no Twitter
Siga a Livraria da Folha no Twitter

Antes do diabinho, uma loira fantasma e o Vampiro de Osasco passaram pelas páginas do "NP". O sobrenatural era tema recorrente. Entretanto, nenhum dos precedentes alcançou a fama como o Bebê-Diabo. Hoje adulto, ninguém sabe por onde anda o "filho do capeta". Abaixo, veja a primeira página --imagem cedida pelo Banco de Dados da Folha de S.Paulo-- e a cronologia das manchetes extraída de "Nada Mais que a Verdade".

Visite a estante dedicada ao jornalismo

*

Reprodução
Capa do dia 11 de maio de 1975, nascia o mito do Bebê-Diabo nas páginas do "Notícias Populares"
Capa do dia 11 de maio de 1975, nascia o mito do Bebê-Diabo nas páginas do "Notícias Populares"

*

A SAGA DO BEBÊ-DIABO NAS MANCHETES

11/5 Nasceu o diabo em São Paulo

12/5 Bebê-Diabo desaparece

13/5 Feiticeiro irá ao ABC expulsar o Bebê-Diabo

14/5 Bebê-Diabo do ABC pesa 5 quilos

15/5 Bebê-Diabo inferniza o padre do ABC

16/5 Nós vimos o Bebê-Diabo

17/5 Povo vai ver o Bebê-Diabo

18/5 Procissão expulsará Bebê-Diabo

19/5 Viu Bebê-Diabo e ficou louca

20/5 Santo previu o Bebê-Diabo

21/5 Bebê-Diabo nos telhados das casas do ABC

22/5 Médico afirma: o Bebê-Diabo nasceu no ABC

23/5 Diabo explode mundo em 1981

24/5 Bebê-Diabo parou táxi na avenida

25/5 Fazendeiro é o pai do Bebê-Diabo

26/5 Bebê-Diabo viaja para ver o pai

27/5 Bebê-Diabo aparece no lugar do eclipse

28/5 Mais 7 viram o Bebê-Diabo

29/5 Bispo morre de medo

30/5 Bebê-Diabo arrasa com ritual umbandista

31/5 Fanáticos ameaçam Bebê-Diabo no ABC

1/6 Sequestrado Bebê-Diabo

2/6 Bebê-Diabo à morte

3/6 Bebê-Diabo foge para o Nordeste

4/6 Padre de Marília: "Eu acredito no Bebê-Diabo do ABC"

5/6 Zé do Caixão vai caçar Bebê-Diabo no Nordeste

8/6 Povo vê novo Bebê-Diabo do ABC

*

"Nada Mais que a Verdade"
Autores: Celso de Campos Jr., Denis Moreira, Giancarlo Lepiani e Maik Rene Lima
Editora: Summus Editorial
Páginas: 256
Quanto: R$ 54,40 (preço promocional)
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

 
Voltar ao topo da página