Saltar para o conteúdo principal
 
14/06/2012 - 10h30

Monte sua estante com obras de Dalton Trevisan

da Livraria da Folha

Nascido em Curitiba (PR) no dia 14 de junho de 1925, Dalton Jérson Trevisan é um autor recluso. Conhecido como "Vampiro de Curitiba", título de um de seus livros mais famosos, Trevisan já recebeu o Jabuti, Prêmio Portugal Telecom, o Clarice Lispector da Fundação Biblioteca Nacional, o Prêmio Camões e o Machado de Assis, premiação mais importante concedida pela ABL (Academia Brasileira de Letras).

Divulgação
Com linguagem ágil e humor erótico, Trevisan desnuda condição humana
Com linguagem ágil e humor erótico, Trevisan desnuda condição humana

Monte sua estante com obras de Dalton Trevisan
Conheça nossa página no Facebook
Siga a Livraria da Folha no Twitter
Visite a estante dedicada à literatura brasileira

Entre diversas obras, Trevisan assina "Contos Eróticos", "Novelas Nada Exemplares", "Macho Não Ganha Flor", "A Trombeta do Anjo Vingador", "A Faca no Coração", "Pico na Veia", "A Polaquinha" e "Virgem Louca, Loucos Beijos".

"Desgracida" é dividido em duas partes. A primeira, chamada de "Ministórias", trata-se de uma seleção de textos inéditos do escritor curitibano.

Com uma linguagem sarcástica e erótica, o autor molda 90 microcontos baseados nas aflições do ser humano, como desastres do amor, cenas avessas da vida cotidiana, infernos particulares, entre outros.

Na segunda parte, "Mal traçadas linhas", o leitor terá a oportunidade de ler textos de antigas cartas enviadas aos amigos do escritor, como Pedro Nava (1903-1984), Rubem Braga (1913-1990) e Otto Lara Resende (1922-1992). Como exemplo, o texto provocativo "Falemos mal do 'Grande Sertão'" endereçado a Otto.

Em "Nem te Conto, João", relata a relação amorosa entre João, um dentista experiente, e Mariazinha, uma moça virgem, mas libidinosa. A garota se abre no consultório odontológico e conta histórias picantes. Leia trecho

Com 40 contos, "O Anão e a Ninfeta" segue o estilo que o consagrou, com assuntos insólitos e cheio de diálogos incomuns. O anão do título protagoniza a história de abertura. Mulherengo, ele tem seus dilemas mundanos encerrados após ser morto por uma prostituta.

Marcelo Rudini - 8.ago.08/Folhapress
O escritor Dalton Trevisan, em Curitiba, em uma das raras fotografias do escritor, avesso à imprensa
O escritor Dalton Trevisan, em Curitiba, em uma das raras fotografias do escritor, avesso à imprensa

Texto baseado em informações fornecidas pela editora/distribuidora da obra.

 
Voltar ao topo da página