Saltar para o conteúdo principal
 
24/09/2013 - 15h54

Estudo sobre a história da virilidade é publicado no Brasil

da Livraria da Folha

Divulgação
Título acompanha a invenção do conceito de virilidade, da Antiguidade às Luzes
Título acompanha a invenção da virilidade, da Antiguidade às luzes

Escrito por um grupo de acadêmicos sob a direção de Alain Corbin, Jean-Jacques Courtine e Georges Vigarello, "História da Virilidade" resgata as origens e apresenta o desenvolvimento do conceito de virilidade na cultura ocidental.

Os textos foram divididos em três volumes: "A Invenção da Virilidade, da Antiguidade às Luzes", "O Triunfo da Virilidade, o Século XIX" e "A Virilidade em Crise? Século XX-XXI".

Na primeira parte, os autores investigam a virilitas romana, origem do modelo de virilidade com características nitidamente enunciadas. O viril não era apenas o masculino, mas um ideal de virtude --poder, excelência, autocontrole e dominação.

As transformações desse conceito ao longo dos séculos, incluindo seus códigos e rituais, mostram como a elegância da corte foi agregada aos valores do combatente.

Divulgação
No segundo volume de "História da Virilidade", autores focam no século 19
Com seus duelos, século 19 é considerado o auge da virilidade

"A corte palaciana dos séculos 16 e 17 acresce as etiquetas, cultiva as posturas, flexibiliza os corpos, reforçando a questão da aparência, ao passo que outrora predominava uma arte mais guerreira", escreve o historiador e sociólogo Vigarello.

O século 19, considerado o auge do conceito de virilidade, é examinado no segundo volume. Esse tempo foi marcado pelo refinamento dos duelos e pela dominação dos povos vistos como inferiores. Homens consentiam em viver e morrer pela honra e pela pátria.

Segundo Corbin, historiador especializado no período, "o sistema de representações, de valores e de normas que a constitui se impõe agora como uma força tal que não poderia ser realmente contestada".

"Os fisiologistas contribuem, em seguida, para a consolidação desse conjunto de valores", diz. "Eles confirmam ao homem que tudo o destina à ação energética, à expansão, ao engajamento nas questões sociais, à dominação."

Divulgação
Autores questionam de a virilidade entrou em crise no século 20 e 21
Autores questionam se a virilidade entrou em crise no século 20 e 21

O último livro apresenta a questão da virilidade como indicador de um mal-estar entre os homens ocidentais. O conceito que permaneceu por séculos como fundamento da dominação masculina começa a ser questionado.

Entre os motivos que provocaram um paradoxo na masculinidade, os acadêmicos apresentam os ciclos das depressões econômicas, o progresso da igualdade entre os sexos e o fim do romantismo das guerras, vistas como verdadeiros massacres.

"A Segunda Guerra Mundial e depois as últimas guerras coloniais acabaram de derrubar o entusiasmo viril pela proeza guerreira e puseram termo à busca heroica do sacrifício e da glória", conta Courtine, antropólogo e linguista da Universidade Sorbonne.

Apesar de períodos alternantes na cultura popular, o terceiro volume traça as contradições entre o modelo arcaico e o conjunto das transformações políticas e sociais. No início do século 21, a virilidade parece entrar em crise.

*

"A Invenção da Virilidade, da Antiguidade às Luzes" (Vol. 1)
Páginas: 616
Quanto: R$ 83,90 (preço promocional*)

"O Triunfo da Virilidade, o Século XIX" (Vol. 2)
Páginas: 536
Quanto: R$ 83,90 (preço promocional*)

"A Virilidade em Crise? Século XX - XXI" (Vol. 3)
Páginas: 616
Quanto: R$ 83,90 (preço promocional*)
Editora: Vozes
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques. Não cumulativo com outras promoções da Livraria da Folha. Em caso de alteração, prevalece o valor apresentado na página do produto.

Texto baseado em informações fornecidas pela editora/distribuidora da obra.

 
Voltar ao topo da página