Saltar para o conteúdo principal
 
13/11/2014 - 15h05

O dia em que os fascistas brasileiros tiveram que correr

da Livraria da Folha

Benito Mussolini exportou um modelo de governar e discursar. Em muitos países, incluindo a Alemanha, políticos copiavam os trejeitos exaltados, a expectativa de um futuro grandioso –inspirado num passado igualmente glorioso– e o militarismo do duce. A pregação sobre a necessidade do aniquilamento de comunistas, anarquistas e raças inferiores era comum. No Brasil não foi diferente.

Neste lado do Atlântico, o Partido Nazista Brasileiro era o segundo maior do mundo, perdendo apenas para o seu equivalente alemão. Jornais e revistas divulgavam e apoiavam o ideário fascista. A Ação Integralista de Plínio Salgado reunia milhares de militantes e simpatizantes.

Fugitivos das ditaduras europeias da década de 1930 se uniram a anarquistas, comunistas, socialistas, sindicalistas e a toda a população que não descendia de alguma "raça superior". Juntos, lutaram para impedir que o Brasil se transformasse em uma versão tupiniquim do Terceiro Reich.

Divulgação
jornalista narra a história do dia em que os galinhas verdes tiveram que voar
Jornalista narra o dia em que os galinhas verdes tiveram que voar

Em outubro de 1934, a Praça da Sé, no centro de São Paulo, foi palco de um confronto entre integralistas, que planejavam um desfile de suas milícias armadas, e a Frente Única Antifascista.

Com tiros e bombas, o conflito deixou mortos e feridos. Naquele dia, o fascismo brasileiro teve a sua pior derrota. Os integralistas, que usavam roupas verdes, correram do local jogando fora as suas camisas.

O episódio foi contado pelo jornalista Fulvio Abramo (1909-94), um dos fundadores da Frente Única Antifascista, no livro "A Revoada dos Galinhas Verdes", publicado originalmente em 1984.

Com o fracasso do Eixo na Segunda Guerra Mundial, Mussolini foi capturado e levado para Milão em 28 de abril de 1945. Após um julgamento feito por membros ligados à Resistência, o duce e Clara Petacci, sua amante, foram executados. Ele terminou pendurado de cabeça para baixo para exibição pública pelo povo que supostamente o adorava.

*

A REVOADA DOS GALINHAS VERDES
AUTOR Fulvio Abramo
EDITORA Veneta
QUANTO R$ 25,90 (preço promocional*)

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques.

-

 
Voltar ao topo da página