Saltar para o conteúdo principal
 
29/06/2011 - 11h00

Hitler ingeria até 150 comprimidos por semana e teve colapso

da Livraria da Folha

De detalhes das estratégias por trás de grandes ataques aéreos germânicos até peculiaridades do dia a dia do Fürer estão expostos em "O Piloto de Hitler" (Jardim dos Livros, 2011).

Divulgação
Biografia do piloto oficial de Hitler revela segredos sobre a guerra
Biografia do piloto oficial de Hitler revela segredos sobre a guerra
Siga a Livraria da Folha no Twitter
Siga a Livraria da Folha no Twitter

Alguns episódios do volume humanizam ainda mais o chefe nazista, idolatrado pelo povo alemão no período e demonizado por quase todo o resto da humanidade.

Com dores no estômago e preocupações psicológicas com relação à doenças, Adolf Hitler (1889-1945) chegou a tomar cerca de 150 comprimidos por semana. Sua estada em Wolfsschanze foi marcada por diarreias e um ataque nervoso diagnosticado posteriormente como sintoma de uma esclerose coronária de evolução rápida (veja abaixo).

O volume, escrito pelo especialista em história da aeronáutica C. G. Sweeting, traz a biografia de Hans Baur (1897-1993), aviador oficial do ditador, que o acompanhou em quase todas as viagens que fez de avião. O piloto esteve presente em episódios decisivos da Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

O autor se baseou em pesquisa minuciosa e detalhista sobre a época, assim como em inúmeras entrevistas, entre elas, com a viúva de Baur, para reunir informações.

"O Piloto de Hitler" revela segredos da guerra e do ditador

Fotos raras, detalhes sobre o temperamento, as decisões e a saúde de Adolf Hitler aparecem na publicação, que também conta a passagem do aviador nazista pela Primeira Guerra Mundial (1914-1918) e os dias em que esteve preso nas mãos dos soviéticos.

Leia trecho.

*

Não muito tempo depois de sua chegada a Wolfsschanze, Hitler ficou doente. Suas dores no estômago ficaram mais fortes, talvez pelo stress excessivo ou por razões psicológicas. Ele estava sempre tomando muitos remédios receitados pelo Dr. Morell, incluindo sulfonamidas. Ele ingeria até 150 comprimidos por semana. Apesar dos cuidados normais e das medidas sanitárias, Hitler ficou com diarreia, como outros membros do Estado-Maior. Esse era um problema comum na floresta pantanosa que cercava Rastemburg, mas enfraqueceu ainda mais a saúde de Hitler, deixando-o ainda mais intratável.

Um dia, durante uma discussão acalorada com von Ribbentrop que se opusera à Barbarossa desde o início, Hitler começou a gritar e a defender suas ações. De repente, ele parou no meio de uma frase, ficou branco, dobrou-se e sentou numa cadeira. Houve um momento de silêncio assustador. "Pensei que fosse ter um ataque cardíaco", ele disse, finalmente. "Jamais discorde de mim dessa maneira!"¹ O Dr. Morell ficou assustado e enviou um electrocardiograma de Hitler para o Instituto do Coração de Bad Nauheim, informando apenas que o paciente era um "diplomata muito ocupado". O diagnóstico foi esclerose coronária de evolução rápida, uma doença cardíaca incurável. Morell aparentemente não disse nada a Hitler, mas acrescentou mais remédios, incluindo cardiazol, para aliviar sua condição.²

Foi nessa época que Hitler entrou em choque com seus comandantes do exército em relação à conduta a ser seguida na campanha. Os generais resmungaram, mas os acontecimentos estavam transcorrendo num ritmo veloz e aparentemente bem-sucedido. Apesar de tudo o que fora conquistado, Hitler estava em dúvida em relação à estratégia a ser usada para dar continuidade às operações, especialmente diante das recomendações e exigências dos generais. Hitler ainda se sentia muito debilitado, apesar de se ter recuperado da diarreia, mas fez um esforço tremendo para ficar a par da situação no vasto teatro de operações, visitando pessoalmente dois comandantes de grupos do exército.

¹ Hitler's Secret Conversations, 1941-1944 (Nova York, Farrar, Straus & Young, 1953), xi-xii, com um ensaio introdutório sobre a mente de Adolf Hitler, de H. R. Trevor-Roper.
² Toland, 678.

*

"O Piloto de Hitler"
Autor: C. G. Sweeting
Editora: Jardim dos Livros
Páginas: 440
Quanto: R$ 33,90 (preço promocional, por tempo limitado)
Onde comprar: Pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

 
Voltar ao topo da página