Saltar para o conteúdo principal
 
09/05/2017 - 10h31

Privilegiados, Cavaleiros Templários foram torturados por blasfêmias e canibalismo

da Livraria da Folha

Considerada a ordem militar mais efetiva da época medieval, os Cavaleiros Templários representavam as duas grandes paixões da sociedade - fé fervorosa e bravura na luta.

Empolgando a imaginação popular como valorosos campeões de Cristo, eles logo se tornaram celebridades, atraindo apoiadores ricos e poderosos. É o que explica Brenda Ralph Lewis em "A História Secreta dos Reis e Rainhas da Europa".

"Doações em dinheiro e propriedades foram feitas aos Templários por aristocratas e clérigos, em uma escala que conferiu aos Cavaleiros um status que nunca haviam imaginado", explica.

Divulgação
Livro conta a história de monarcas enlouquecidos que trouxeram muita dor e angústia ao povo por vários séculos
Livro conta a história de monarcas enlouquecidos que trouxeram muita dor e angústia ao povo por vários séculos

Ricos e privilegiados, eles chegaram a contar com 900 propriedades. Porém, a alegria durou pouco: eles começaram a ser considerados excepcionais demais, despertando ressentimentos.

"Os Templários passaram a ser regularmente acusados de luxúria amorosa, de glorificar a riqueza e a fama, de encorajar o pecado do orgulho e da arrogância", escreve a autora.

As acusações foram feitas na mesma época em que as forças muçulmanas começavam a derrotar o poder cruzado na Terra Santa. Com o peso de outros acontecimentos preocupantes, o sucesso e a percepção de que Deus aprovava as Cruzadas se esvaiu.

O fracasso deu ao Rei Felipe IV da França a oportunidade de atacar as duas principais instituições do mundo cristão: o Papado e os Templários. Pouco tempo depois, tortura como método de interrogatório tornou-se uma cena comum: Cavaleiros eram amarrados de costas um para o outro e queimados por heresia. O "espetáculo" atraía multidões.

Outro método utilizado era esticar os prisioneiros na mesa de tortura, deslocando juntas e arrebentando ligamentos. "Prensas e botas de ferro eram usadas para triturar ossos. Bocas eram abertas à força até que as mandíbulas se rompessem. Arrancavam-se dentes e unhas. As pernas eram imobilizadas em quadros de ferro, passava-se sebo nas solas dos pés e incendiava-se tudo".

Em "A História Secreta dos Reis e Rainhas da Europa", Brenda Ralph Lewis explica que, apesar de muitos Templários terem morrido sob tortura e proclamando sua inocência, o normal era o torturado confessar. Com exceção de quatro homens, todos os 138 Cavaleiros Templários interrogados em Paris confessaram culpa das acusações feitas contra eles.

As acusações eram diversas. Para o Rei Felipe, os Cavaleiros eram culpados não só de blasfêmias e homossexualismo, mas também de canibalismo, infanticídio e abuso infantil, além de bruxaria.

*

A HISTÓRIA SECRETA DOS REIS E RAINHAS DA EUROPA
AUTOR Brenda Ralph Lewis
TRADUTOR Caia Fittipaldi
EDITORA Europa
QUANTO R$ 99,90 (preço promocional *)

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques.

-

 
Voltar ao topo da página