Saltar para o conteúdo principal
 
27/03/2012 - 11h00

Livro defende benefícios dos games, dos filmes e da televisão

da Livraria da Folha

Demonizados pela maioria dos pais e educadores, os games, as séries de TV, os filmes blockbusters e a internet não são tão ruins quanto se diz por aí. A ideia é defendida pelo especialista em cultura digital Steven Johnson no livro "Tudo Que É Ruim, É Bom Pra Você" (Zahar, 2012).

"A mente do internauta está caótica, poluída, impaciente e sem rumo", diz autor
Neurologista explica de onde surgem as contradições do cérebro
Siga a Livraria da Folha no Twitter
Visite nossa página no Facebook

Divulgação
Livro defende os considerados "maus hábitos" das novas gerações
Livro defende os considerados "maus hábitos" das novas gerações

O autor busca, em compreensões da neurologia e da cognição, a prova de que esses novos meios, adorados pelos jovens, ajudam a desenvolver capacidades até então ignoradas pelas gerações mais velhas.

O livro defende a cultura pop de nossa época, baseada nas redes sociais, nos jogos, nos memes e nos seriados americanos como "Família Soprano", "Seinfeld" e "Os Simpsons".

Ao longo das páginas, Johnson procura mostrar que não estamos ficando mais superficiais ou alienados. Pelo contrário, ficamos mais espertos e inteligentes.

"Tudo Que É Ruim, É Bom Pra Você" tem lançamento previsto para o dia 2 de abril e já está disponível, em sistema de pré-venda, na Livraria da Folha.

Steven Johnson também é autor de "De Onde Vêm as Boas Ideias", "A Invenção do Ar", "De Cabeça Aberta" e "O Mapa Fantasma".

*

"Tudo Que É Ruim, É Bom Pra Você"
Autor: Steven Johnson
Editora: Zahar
Páginas: 188
Quanto: R$ 32,30 (preço promocional*)
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques. Não cumulativo com outras promoções da Livraria da Folha. Em caso de alteração, prevalece o valor apresentado na página do produto.

Texto baseado em informações fornecidas pela editora/distribuidora da obra.

 
Voltar ao topo da página