Saltar para o conteúdo principal
 
29/03/2013 - 20h30

Livro traça panorama da história do sexo e suas mudanças; leia trecho

da Livraria da Folha

Esmiuçar a história do sexo. Contar detalhes que possam elucidar para o leitor as transformações por que passou a prática no decorrer dos séculos. Essa é a premissa --e o desafio-- de Claudio Blanc, autor de "Uma Breve História do Sexo".

Divulgação
Detalhes e curiosidades sobre a prática sexual em diferentes momentos históricos
Curiosidades sobre a prática sexual em diferentes momentos históricos

Blanc inicia sua narrativa no período pré-histórico, quando o sexo era praticado como forma de culto religioso, caráter que persistiu até a Antiguidade. E, a partir de uma contextualização histórica e social, o autor conta algumas dos diferentes pontos de vista e finalidades atribuídas ao sexo.

Ele cita a sociedade medieval europeia, ou na era vitoriana inglesa, em que a prática sexual era encarada como um instrumento de dominação. Por isso, instituições religiosas e governamentais tentaram cercear o comportamento sexual da população, a partir da imposição de regras e construção de tabus.

O autor dá um contraponto ao descrever a onda de liberação sexual que tomou o mundo na década de 60, momento histórico em que o sexo adquiriu conotações políticas e tornou-se um forte elemento de afirmação de identidade social.

Abaixo, leia um trecho do livro.

*

A espécie humana faz sexo não apenas para fins reprodutivos, mas também como forma de relacionamento social. Grande parte de nossas atividades é motivada, de um modo ou de outro, pelo sexo. Para homens e mulheres, os órgãos sexuais são órgãos sociais. Mas a maneira com que a sociedade encara o sexo tem mudado com o passar dos tempos. Da Pré-História ao começo da Antiguidade, o ato sexual era praticado como forma de culto religioso. Nesse período, os templos eram mantidos por sacerdotisas-prostitutas.

Com o desenvolvimento da sociedade patriarcal e no período entre Idade Média e era vitoriana, o sexo passou a ser visto como instrumento de dominação sobre o indivíduo: diversas instituições procuraram controlar o comportamento sexual e, para isso, elaboraram discursos, instituíram regras e alimentaram tabus. A partir sobretudo da década de 1960, houve uma onda de liberação sexual.

O sexo tornou-se uma forma de afirmação da identidade social e política. Grupos se formaram em torno da sexualidade e determinaram tendências de comportamento e, até mesmo, de consumo. No mundo contemporâneo, um bom número de propagandas recorre a imagens sexuais, e filmes e programas de TV não conquistam audiência se não lançam mão do erotismo. A própria moda é um jogo, uma arte sensual de esconder e revelar.

Por toda a História, homens e mulheres têm-se dedicado com afinco ao jogo da sedução. Hoje, e sempre, o sexo nos move, nos incita, nos inspira, nos renova, nos traz a decadência, ou nos leva à redenção. Só muda a maneira como é feito.

*

"Uma Breve História do Sexo"
Autor: Claudio Blanc
Editora: Planeta
Páginas: 168
Quanto: R$ 27,20 (preço promocional*)
Onde comprar: 0800-140090 ou na Livraria da Folha

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques. Não cumulativo com outras promoções da Livraria da Folha. Em caso de alteração, prevalece o valor apresentado na página do produto.

Texto baseado em informações fornecidas pela editora/distribuidora da obra.

 
Voltar ao topo da página