Saltar para o conteúdo principal
 
22/07/2016 - 13h55

Governo precisa acertar as contas públicas, diz Ricardo Amorim

WILLIAM MAGALHÃES
da Livraria da Folha

Apresentador do "Manhattan Connection", da Globo News, o economista Ricardo Amorim lançou recentemente o livro "Depois da Tempestade" pela Prata Editora.

Com prefácio de Nizan Guanaes, o livro busca explicar que embora a recente crise brasileira tenha provocado uma injeção de pessimismo na população, a economia é cíclica e, talvez, o ciclo de expectativas frustradas esteja mais próximo do fim do que podemos imaginar.

Divulgação
Em livro, autor esclarece por que as expectativas eram altas no início do primeiro mandato de Dilma Rousseff
Em livro, autor esclarece por que as expectativas eram altas no início do primeiro mandato de Dilma Rousseff

Em entrevista para a Livraria da Folha ele falou sobre como é possível tirar o país da crise.

"Tirar o Brasil da crise requer que as empresas, os empresários e investidores voltem a acreditar que o Brasil vai crescer e, portanto, invistam e gerem emprego. E que consumidores acreditem que seu emprego não está em risco e que, portanto, eles podem gastar, porque no futuro eles vão ter condições de honrar eventuais compromissos que assumam neste momento", afirmou.

Para Amorim, a "confiança tem que voltar". Para ele tirar "o fantasma do retorno do risco da presidente afastada Dilma Rousseff" é o primeiro passo. O economista descarta os efeitos da crise internacional de 2008 na situação do país. Ele afirma que os problemas no país começaram em 2011, após a posse da petista. "A expectativa de crescimento para o Brasil caiu ano após ano. E mais grave. O crescimento real foi pior do que a expectativa", aponta.

Colocar o país em uma trajetória de crescimento econômico requer que o governo combata o que ele chama de desequilíbrios macroeconômicos gerados no governo Dilma - causados pelos aumentos nas contas externas, na inflação e nas contas públicas. "Os dois primeiros já estão bem endereçados. A gente vai ter esse ano o maior superávit comercial da história do Brasil e, além disso, a inflação vem em queda desde o começo do ano e isso deve continuar. Falta o último: contas públicas. Tudo que o governo precisa fazer para colocar o Brasil na rota de crescimento de novo é acertar as contas públicas".

O calcanhar de Aquiles nesse sentido é o déficit da previdência. "O Brasil tem um dos regimes de previdência mais generosos do mundo", critica. Amorim destaca a importância de se aprovar a reforma nesse setor. "Quando o regime foi criado, a gente tinha nove pessoas trabalhando pra pagar os benefícios de cada beneficiário. Hoje nós temos pouco mais que duas pessoas trabalhando pra pagar para cada aposentado".

O economista fala sobra a expectativa de vida no Brasil, que era muito menor quando a previdência foi criada. "Por sorte, por mérito, por muito trabalho aumentou e muito a expectativa de vida no Brasil e isso é ótimo. Só que isso significa que depois de aposentadas, ao invés de viver em média sete anos, que é o que acontecia antes, hoje as pessoas vivem 25 anos. Muito bom. Só que o dinheiro não vai dar pra isso se a gente mantiver as regras atuais".

Para ele, trata-se de uma questão urgente. "Das duas uma. Ou a gente muda a regra da previdência ou vai ter uma geração que paga pela previdência da geração mais velha, a geração dos seus pais. Quando chegar sua vez de receber, acabou dinheiro. Não vai ter dinheiro para que ela seja paga. E essa geração que não vai receber ou é a nossa ou será a dos nossos filhos."

Amorim vê como improvável uma eventual volta da presidente Dilma Rousseff ao poder e alerta para os efeitos catastróficos que isso poderia gerar na economia. "A gente teria uma crise econômica ainda muito mais grave do que a que a gente já tem". Ele elogia a equipe econômica montada por Michel Temer e avalia que o governo do presidente interino "tem todas as condições de colocar o Brasil de volta numa trajetória de crescimento, mas até agora ainda não tomou as medidas necessárias para que isso aconteça".

Bob Paulino/Divulgação
O economista Ricardo Amorim, apresentador da Globo News e autor do livro "Depois da Tempestade"
O economista Ricardo Amorim, apresentador da Globo News e autor do livro "Depois da Tempestade"

*

DEPOIS DA TEMPESTADE
AUTOR Ricardo Amorim
EDITORA Prata
QUANTO R$ 39,90 (preço promocional*)

* Atenção: Preço válido por tempo limitado ou enquanto durarem os estoques.

-

 
Voltar ao topo da página