Saltar para o conteúdo principal
 
04/07/2011 - 12h00

Steve Jobs ensina a buscar paixão e moldá-la em criatividade

da Livraria da Folha

Desde o lançamento do iPod, a Apple tornou-se uma marca que vai além de seu produto. É "descolado" possuir os aparelhos da família "i", como os iPhones e iPads.

Grande parte desse culto à maçã, logo da empresa, se dá por conta da criatividade com que Steve Jobs e seus funcionários trabalham.

MONICA M. DAVEY / EFE
Faça o que gosta e transforme esta paixão em algo inovador, ensina Jobs
Faça o que gosta e transforme esta paixão em algo inovador, ensina Jobs

Eles não fazem pesquisas e conversam com consumidores para saber o que eles desejam. A Apple cria aquilo que ainda será desejado, algo que nenhum usuário sabia que queria.

Esta posição criativa, que condiz com o slogan "Pense Diferente", é o que o livro "Inovação - A Arte de Steve Jobs" trabalha. Apresentando histórias reais ocorridas na Apple e com seus envolvidos, ajuda a perceber lições que podem ser levada para outras questões da vida.

Leia abaixo um trecho no qual Steve Jobs explica a necessidade de se estar fazendo algo que goste:

*

Não se acomode

Se você tivesse a sorte de ter uma rara conversa com Steve Jobs e lhe perguntasse o que ele faz para ser um empreendedor de sucesso, o que acha que ele diria? Você não precisa adivinhar. Em 1995, ele respondeu a essa pergunta em uma rara entrevista para o Smithsonian Oral History Project:

Acho que você deve arrumar um emprego como ajudante de garçom ou algo assim até achar algo que realmente goste, pois isso dá muito trabalho. Estou convencido de que cerca de metade do que separa os empreendedores de sucesso dos malsucedidos é pura perseverança. É bem duro. Você investe muito da sua vida nisso. Há momentos tão difíceis que acho que a maioria das pessoas desiste. Não as condeno. É realmente duro e consome sua vida. Se a pessoa tiver uma família e estiver nos primeiros dias de uma empresa, não consigo imaginar como ela pode conseguir. Tenho certeza de que é possível, mas é duro. São quase dezoito horas de trabalho por dia, sete dias por semana, por algum tempo. A não ser que sinta muita paixão pelo que faz, você não vai sobreviver. Vai desistir. Assim, você tem de ter um ideia, ou um problema ou um erro que quer corrigir, ao qual você está apaixonado; caso contrário, não terá a perseverança para prosseguir. Acho que essa é metade da batalha.

Jobs afirma que ele teve sorte, pois descobriu cedo na vida o que gostava de fazer. Aos trinta anos, contudo, ele foi despedido. Depois de uma luta pelo poder, John Sculley, o então presidente da Apple - que Jobs havia tirado da Pepsi com o famoso desafio "você quer passar o resto da vida vendendo água açucarada ou quer uma chance de mudar o mundo?" -, convenceu a diretoria a despedir Jobs, em maio de 1985. "O que fora o foco de toda a minha vida havia desaparecido, e eu estava devastado", Jobs afirmou. Ele considerou o evento um fracasso público. Estava humilhado. Então, algo começou a despontar nele: Jobs amava o que fazia. Ele podia ter sido "rejeitado", mas continuava apaixonado. Assim, recomeçou e iniciou o que denominou o período mais criativo da sua vida, uma década em que lançou diversas inovações importantes, incluindo uma empresa que revolucionaria a indústria do entretenimento: a Pixar.

Jobs resumiu a importância desse período criativo em sua vida para uma turma de recém -formados de Stanford, em 2005:

Estou convencido de que a única coisa que me manteve em pé foi que eu gostava do que fazia. Você precisa achar o que gosta. E isso é verdade tanto para seu trabalho quanto para seus casos amorosos. Seu trabalho vai preencher uma grande parte da sua vida, e o único
modo de se sentir verdadeiramente satisfeito é fazer o que você acredita ser um ótimo trabalho. E o único modo de fazer um ótimo trabalho é gostar do que faz. Se você ainda não o encontrou, continue procurando. Não se acomode. Assim como todas as coisas do coração, você saberá quando encontrar. E, como qualquer bom relacionamento, fica cada vez melhor com o passar dos anos. Portanto, continue procurando até encontrar. Não se acomode.

A maioria dos livros e dos estudos a respeito do tópico de inovação enfoca teorias, métodos e técnicas herméticos. Em comparação, se você estudar a vida e as palavras de Steve Jobs, o inovador mais estimulante do mundo, constatará que a inovação começa com algo que todos nós temos: paixão. Capturar essa paixão e utilizá-la para transformar ideias em produtos e serviços é onde a maioria dos inovadores que mudaram o mundo encontra seu começo. A paixão não é um tópico ensinado em cursos de MBA, pois não é quantificável; não se encaixa facilmente numa planilha de Excel. No entanto, Steve Jobs, repetidas vezes, contou -nos sobre o segredo do seu sucesso: faça o que você gosta.

iDicas
1. Quem você conhece que seguiu uma paixão? Estude essa pessoa. Ela produziu ideias criativas e únicas? Parece ter mais energia, entusiasmo e empolgação do que outras pessoas? Fale com ela. Você pode ter alguns insights sobre como ela fez a transição entre trabalhar em algo que não a engajava e fazer algo que ela gostava.

2.Você tem interesses fora do que faz para viver? Em caso afirmativo, investigue -os. Você pode ficar surpreso sobre como pode transformar essas paixões em sucesso financeiro.

3. Tente algo novo este ano. Faça um curso, leia um livro ou vá a uma conferência que não tem nada a ver com seu trabalho.

*

Inovação - A Arte de Steve Jobs
Autor: Carmine Gallo
Editora: Lua de Papel
Páginas: 256
Quanto: R$ 29,90
Onde comprar: Pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

 
Voltar ao topo da página