Diário de confinamento: 'As mandíbulas de Salvador Dalí'

'Enquanto me atualizo das tretas políticas do dia, penso em outro protagonismo para as mandíbulas'

Susana Bragatto
Barcelona

Dia #34 – Barcelona – Quinta, 16 de abril. Cena: "Rata contagiosa". Com essas palavras pichadas em seu carro, uma médica de Barcelona foi ao trabalho.

Acafofada aqui no meu mundinho do caixote, folheio um miauravilhoso livro de receitas de Salvador Dalí, "Les Diners de Gala". Presente de aniversário.

Uma frase introdutória, daquelas xô-lançar-uma-teoria-geral-sobre-geral-al-al (ler em voz alta com efeito eco): "O primeiro instrumento filosófico por excelência do homem é a tomada de consciência do real por meio das mandíbulas".

Desconfio (de leve) que o Dalí tava se referindo, hmm, aos prazeres exploratórios da boca. Vide seus “purês de Afrodite” ou “pirâmides de caranguejo de rio com ervas viking” (não tente fazer isso em casa), que estão no menu deste belo compêndio dos sentidos.

Mas, enquanto me atualizo das tretas políticas do dia, penso em outro protagonismo para as mandíbulas: acumular toda a nossa fúria animal antirrivotril em mordeduras. Rilhar os dentes. Rugir. Atacar. Grrraaauur etc.

Imagem de 'Les Diners de Gala', obra de Salvador Dalí
Imagem de 'Les Diners de Gala', obra de Salvador Dalí - Divulgação

O número oficial de hospitalizações por coronavírus caiu na última semana de 16% para 1,5% --segundo dados oficiais.

O preço do "cochinillo" (porco de poucas semanas e menos de quatro quilos, muito apreciado na culinária espanhola) segue despencando, como o de todas as carnes e frutos do mar que o mercado não absorve mais: de 38 euros (R$ 216) a peça para intermediários, vale agora 8 (R$ 46).

Essa desvalorização –aaaah, merrrrmão-- por enquanto não se vê refletida nas gôndolas dos supermercados, É CLARO.

(Podíamos todos aproveitar o vírus pra virar vegetarianos, ó.)

Aparece na tevê o Tedros Adhanom da OMS dizendo algo bunito, embora apático: "Quando estamos divididos, o vírus explora as fissuras que existem entre nós".

Nada mais adequado para definir a política ________ (espanhola, mas fica aqui o espaço pra substituir pela sua preferida).

O primeiro encontro entre governo e grupos políticos para negociar um plano nacional de reconstrução aconteceu hoje em Madri sem a presença dos dois principais partidos de oposição, o Partido Popular (PP) e o Vox.

Este último, como a CUP, ala trabalhista vinculada à Esquerda Republicana Catalã independentista, já se excluiu desta e das próximas rodadas.

Considerando o arranca-rabo de ontem no Congresso, não foi tão catastrófico. Entre as medidas discutidas, está a questão da renda mínima de 500 euros (R$ 2.848), que ainda divide os setores, mas, espera-se, será aplicada a partir de maio a todas as famílias sem fontes de renda.

Esse tema é pedra de resistência de Pablo Iglesias, vice-presidente e Ministro de Direitos Sociais, ligado ao Unidas Podemos, coalizão de esquerda, e partidário da necessidade de se enfatizar amplas medidas de socorro social.

Isso, por si só, já gera antipatia política pelo projeto. Iglesias foi reiteradamente atacado ontem pela oposição no Congresso, sendo chamado de comunista e chavista pela deputada Macarena Olona, do Vox.

Inés Arrimadas, presidenta do partido de origem catalã Ciudadanos (não independentista, e em certos contextos aliado ao PP), saiu da reunião de hoje insatisfeita com a falta de pautas e um calendário concretos e opinou que o protagonismo de Iglesias pode dificultar a união política tão insistentemente pedida "de coração" pelo premiê Pedro Sánchez.

A princípio, uma reunião com o PP foi adiada para a semana que vem. O partido quer tempo. Em lugar de reuniões, seu principal porta-voz, Pablo Casado, acompanhou hoje sua correligionária e governadora de Madri, Isabel Díaz Ayuso, em visita a um dos principais hospitais de campanha da capital.

Madri é a província mais acometida pela Covid-19, com 50.694 casos confirmados e 6.877 mortes até agora.

O PP tem 245 deputados e o governo de cinco comunidades autônomas em toda a Espanha, atrás apenas do PSOE de Sánchez, com 333 deputados e nove governos.

Volto ao Dalí, que tá mais realista.

"Há circunstâncias em que a fadiga, o excesso de preocupações e a sobriedade solicitam auxílio", comenta em uma receita de Coquetel Casanova (laranja, bitter, gengibre, conhaque, Vieille Cure e "un pellizco de pimienta de Cayena"). Droga. Nem sei o que é Vieiiaeiieielle Cure.

Termino com uma última frase genérica do Dalí tipo mindfulness-da-comida que eu peguei do livro e reproduzo aqui, convencida de que é comigo, confinada arrebatada entediada, um recado sideral pra todos nós na forma de edição psicoculinária de 1973: "Extrema presença é extrema presença de ânimo, e presença de ânimo é gozo". Tá.

“Músicas para Quarentenas” podem ser escutadas aqui


DIÁRIO DE CONFINAMENTO

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.